Por: Jornal Sul Brasil | 09/04/2020

Desde o dia 17 de março, as atividades da Associação Chapecoense de Futebol estão suspensas. A medida foi tomada com foco total na prevenção contra o novo Coronavírus e, desde lá, todos os cuidados têm sido tomado pelos integrantes do clube a fim de cumprir com as determinações dos órgãos máximos da saúde.

A saudade dos gramados e das movimentações nos bastidores, no entanto, é inegável. Ainda assim o superintendente de futebol da Chape, Neto, reitera a importância das ações cautelares. “O futebol é um esporte. E quando se fala de esporte, se fala de vida, de saúde. E, voltando às atividades normalmente, a gente vai contra a vida, contra a saúde, contra o esporte”.

Apesar do tempo que a situação pode levar para voltar à normalidade, Neto se mostra esperançoso. “A gente espera que tudo isso passe da melhor maneira, com a maior segurança, para que os atletas possam voltar a desfrutar dentro de campo aquilo que eles fazem com amor e para que os torcedores possam voltar a desfrutar do seu clube, da ida à Arena Condá, da ida aos treinos… porque dá saudade pra todo mundo”.

Mesmo com a pausa nas atividades, o superintendente falou sobre os trabalhos do departamento de futebol e sobre a possibilidade de contratações para a sequência da temporada. “Há uma necessidade de reforçar o elenco para a Série B e isso ficou evidente no Campeonato Estadual. (…) Nós precisamos de algumas peças pela carência que tem no grupo e pelo que a Série B significa. Um campeonato muito longo, muito duro, que exige muito dos atletas. Precisamos reforçar com jogadores de qualidade, maduros e que tenham experiência na competição também. O clube está fazendo muitas análises de peças, existe a possibilidade de contratações, mas, neste momento, não é seguro tomar alguma ação devido à instabilidade. A diretoria tem tomado todos os cuidados possíveis para que as ações sejam tomadas da melhor maneira e da forma mais segura o possível”.

Por fim, Neto falou sobre como foi a transição de atleta para membro da diretoria de futebol alviverde e de que forma tem encarado a nova experiência. “Eu tenho um prazer enorme de estar neste cargo, ainda mais na Chapecoense, que é um clube que eu tenho carinho, respeito e amor. É prazeroso estar ajudando o clube em algumas negociações, com opiniões que podem ser relevantes para que a Chape continue a crescer e tenha a retomada do que sempre foi: um clube em que a grandeza era exposta da maneira mais simples o possível, (…) por ser um clube muito correto nas suas ações”.