Por: Jornal Sul Brasil | 21/11/2019

Combater o mosquito Aedes Aegipty deve ser uma preocupação diária de todos, visando especialmente eliminar os criadouros do mosquito. Tanto no verão, quanto no inverno o trabalho das equipes de combate da Administração Municipal, por meio da Secretaria de Saúde, não para e o principal foco das atividades são a prevenção e sensibilização da comunidade. A orientação é para que a população receba os agentes e siga as orientações repassadas. É importante eliminar todos recipientes que possam acumular água. Fazer uma vistoria no terreno, e recolher todos os possíveis criadouros. Tampas, garrafas, potes, vidros, enfim, tudo precisa ser recolhido e colocado adequadamente nas lixeiras ou armazenado em local coberto.

O último LIRAa – Levantamento de Índice Rápido de Aedes aegypti (LIRAa), realizado em novembro em Chapecó mostrou índice de infestação considerado de médio risco (maior ou igual a 1 a menor ou igual 3,9%). O IIP registrado na cidade foi de 2,8%. O mosquito Aedes aegypti foi encontrado, na forma de larva e/ou pupa, em 108 recipientes, dispostos em 95 imóveis. Todos os bairros amostrados estão em condições de infestação média ou alta. Esse resultado revela que o município encontra-se em alto risco para uma epidemia. Os focos estão espalhados em todos os bairros visitados.

No sentido de mobilizar, intensificar e dar visibilidade as atividades, inclusive com divulgação dos dados do Levantamento de índice Rápido (LIRAa), no sábado dia 23 será Dia D de Mobilização para o controle do Aedes aegypti. A região escolhida para um mutirão de atividades com as equipes de saúde, foi a região da Efapi, que apresentou a maior infestação predial com 3,6%.

As equipes irão trabalhar em regiões: Vila Esperança, Jardim do Lago e também área atrás da Unochapecó. Serão mobilizadas 40 ACE – Agentes de Combate as Endemias, para de visitas domiciliares, 2 equipes de trabalho em altura, 1 equipe para aplicação de químicos, 4 ACE’s de pontos estratégicos, 6 supervisores, 2 técnicos, 3 equipes da VISA com a participação de 6 fiscais e a rede de Atenção Básica, com os 300 agentes comunitário de saúde desenvolvendo ações de orientação, e nas unidades do bairro Efapi, CSF Alta Floresta, Jardim do Lago e Efapi,(35 ACS)  envolvendo-as nas ações do dia 23/11 com as demais equipes de ACE’s.