Por: Coluna Pelo Estado por Ewaldo Willerding | 1 mês atrás

Na sexta-feira, 7, poucas horas depois que o Tribunal Especial de Julgamento homologou resultado que permitiu a volta do governador Carlos Moisés da Silva (PSL) ao cargo, o Chefe do Executivo catarinense apareceu em público com visual renovado e fala assertiva.

Emocionado pelo momento, usou o espaço antes da entrevista coletiva na Casa D’Agronômica para ler um texto intitulado “Mensagem aos Catarinenses”. Nele, relatou as dificuldades sofridas no período de afastamento e anunciou mais um compromisso: “Não sucumbirei! Catarinenses, contem comigo”.

Com a disposição de quem está começando e a convicção de que segue no caminho certo, o governador anunciou a volta do seu colegiado, com reforço na Comunicação para garantir que os dados corretos e justos da sua gestão cheguem a todos os catarinenses.

A coluna Pelo Estado acompanhou a entrevista coletiva e extraiu os principais pontos das respostas de Carlos Moisés para mostrar como será a nova fase do governo de SC.

Confira:

Mensagem aos Catarinenses

“Hoje (sexta-feira, 7) é um dia histórico para Santa Catarina. Um dia em que um erro foi reparado. Um dia em que a verdade foi restabelecida pela segunda vez. Infelizmente, o mais prejudicado foi o Estado de Santa Catarina. Nosso estado viveu mais este triste episódio, que travou o desenvolvimento do estado, retirou oportunidades e ceifou vidas. É importante destacar que não vamos conseguir nos afastar totalmente das consequências. Eu faço votos para que esta história nunca mais se repita e seja um aprendizado para todos nós e para as futuras gerações. A decisão de hoje no processo de impeachment reitera as conclusões dos órgãos de controle e dos tribunais, sobre a minha inocência e retidão. O que tenho na vida de mais precioso é a minha família. É a minha essência, é a minha fortaleza. Com meus pais aprendi valores, aprendi a ser honesto, aprendi a ter resiliência. Com minha esposa Késia e minhas filhas Raíssa e Sara repliquei valores assimilados e tive a oportunidade de replicar a plenitude do verbo amar. Os últimos dias não foram fáceis. A vida de nossa família foi exposta e fomos injustamente julgados. Ao longo de minha vida fiz duas grandes promessas: a primeira, lá nos anos 1990, quando ao me formar na Academia de Formação de Oficiais da Polícia Militar jurei servir à sociedade, mesmo com o risco da própria vida. Nessa primeira fase me tornei Bombeiro Militar, por inúmeras vezes coloquei a minha vida em risco, salvei pessoas na água, no fogo, em acidentes, construí uma história honrada no serviço público. Essa trajetória fez com que as pessoas vissem no Comandante Moisés a esperança de uma Santa Catarina mais justa, próspera e desenvolvida. Sob o chamamento de 2.144.179 votos dos catarinenses fui conduzido ao cargo de governador do Estado de Santa Catarina. No qual proferia a minha segunda grande promessa: de manter, defender, cumprir e fazer cumprir a Constituição Federal e Estadual, observar as leis, promover o bem estar, desempenhar o meu cargo honrada, leal e patrioticamente. Dito isso, eu quero no dia de hoje (sexta-feira, 7) fazer a minha terceira promessa: não sucumbirei! Continuarei enfrentando as adversidades com o mesmo rigor moral que trouxe até aqui com a confiança de mais de 71% dos catarinenses. Não quebrarei os compromisso assumidos com nossa sociedade e com a minha família. Vou lutar para que a democracia não seja afrontada. Instituições e entidades de Estado não podem ser utilizadas para fins políticos. A vontade popular precisa estar acima de tudo. Quando um homem comum, como eu, traz uma oportunidade de mudança na gestão, quando um projeto novo mostra resultados nasce a esperança.É possível, sim, fazer a diferença. Santa Catarina retorna aos trilhos. Catarinenses, contem comigo!”

“Nosso governo volta fortalecido. Volta com mais vigor e mais vontade ainda de continuar realizado pelos catarinenses.”

Mudanças no secretariado

“A estrutura de governo que havia quando nós fomos afastados retorna no seu primeiro escalão. Todas as pessoas serão reconduzidas”.

Status do governo e relação com a vice-governadora

Nós fomos provados pelo fogo e fomos aprovados em todos os testes. Eu penso que o nosso governo volta fortalecido. Volta com mais vigor, com muito mais vontade ainda de continuar realizando pelos catarinenses. A vice-governadora cumpriu seu papel constitucional”.

Vacinação

“Nós temos algumas preocupações em relação ao vencimento, prazo de vacinas, enfim. Às pessoas que tomaram a primeira dose…nós vamos agora nos inteirar exatamente do que está acontecendo, com o secretário André Motta à frente de Saúde para que a gente possa avaliar, testar as pessoas e poder aproveitar o maior número de vacinas já aplicadas para que os catarinenses não tenham prejuízos, para que nós não tenhamos riscos de perdas de vidas, enfim, e de matérias aplicados no interesse da saúde dos catarinenses”.

Recursos em rodovias federais

“Nós vamos trabalhar para que esses projetos de aporte de recursos estaduais em rodovias federais sejam efetivados. Vamos trabalhar junto à Assembleia Legislativa para que esses vetos sejam derrubados porque nós entendemos que é importante a manutenção desses projetos que já foram anunciados e estão sendo ajustados com o governo federal.”

Reformas

“Não fosse o afastamento, estes projetos, primeiramente o da reforma administrativa e depois o da previdenciária, já teriam sido encaminhados, essa era nossa programação. Retomando o governo agora, nós vamos dividir isso com as lideranças partidárias dentro da Alesc para que a gente possa discutir, previamente, cada conteúdo e encaminhar na sequência”.

Relacionamento com os partidos

“O trabalho continua exatamente como estava, após as alianças que nós tínhamos feito com os parlamentares, com a Assembleia Legislativa, com a composição de governo que permanece como estava antes do afastamento. O trabalho vai continuar e é nesse sentido que a gente pretende retomar. As nossas preocupações hoje são a saúde dos catarinenses e o desenvolvimento do nosso estado. Nós precisamos retomar a direção do estado, para que a gente possa avançar nas políticas públicas que nós desenvolvemos até aqui e todos vocês são testemunhas dos excelentes resultados que nós tivemos na gestão. Infelizmente essa parada nos tira um pouco dessa velocidade, mas nós queremos agora correr atrás do tempo perdido e fazer com que isso aconteça da forma mais rápida possível”.

Medidas de distanciamento

“Essa temática tem sido discutida com os técnicos da Saúde, através de deliberações do COES para que as equipes do governo possam avaliar os resultados, os números que nós temos para fazer as intervenções necessárias”.

Mudança na Comunicação

“Precisamos sempre melhorar e a escolha do jornalista João Cavallazzi vai enriquecer esse processo e nos ajudar a comunicar melhor. O Governo tem bons números e grandes resultados, mas muitas vezes não consegue comunicar isso muito bem. O nosso objetivo com a Secom é interagir melhor com os veículos, com todos os órgãos para que o governo possa ser justo com a sociedade catarinense e levar a verdade da gestão para cada cidadão.

Relação com o governo federal

“Nós já temos um excelente relacionamento e precisamos retomar a gestão da Saúde. E a Saúde não é só covid, temos cirurgias eletivas, enfim, um desafio muito grande. Mas não é só na Saúde, temos o desenvolvimento também que nós vamos buscar as realizações necessárias”.

“Nós temos um excelente relacionamento com o governo federal e precisamos retomar a gestão da Saúde, que não é só Covid.”