Por: Coluna Pelo Estado por Ewaldo Willerding | 30/04/2021

O noticiário político em Santa Catarina amanheceu nesta quinta-feira, 29, com a informação de que Luciano Buligon será substituído por Ricardo Gouvêa na Secretaria de Desenvolvimento Econômico, em mais uma mudança no primeiro escalão da governadora interina Daniela Reinehr (sem partido). A troca, normal em qualquer governo, surpreende por acontecer oito dias antes do julgamento do impeachment do governador afastado Carlos Moisés. Desde que tomou posse pela segunda vez, Reinerh promoveu 13 trocas no secretariado: ela mexeu em postos importantes como Fazenda, Saúde e Administração. Além destes, Casa Civil, Casa Militar, Procuradoria Geral do Estado, Defesa Civil, e nas secretarias da Infraestrutura e Mobilidade, Articulação Nacional, Comunicação, além da Fundação Catarinense de Cultura e da Santur.

De todas as trocas, a de maior destaque foi na Saúde, secretaria que está no centro das atenções em função da pandemia. O médico André Motta Ribeiro deu lugar à enfermeira e deputada federal Carmen Zanotto, uma das maiores autoridades da área. Zanotto já havia recebido convites anteriores, inclusive de Moisés, e decidiu aceitar o cargo desta vez em função do momento delicado por que passa o estado. Outra alteração que chamou a atenção foi na Infraestrutura, onde o militar Tiago Vieira deu lugar ao ex-deputado Leodegar Tiskoski, fora dos refletores desde a derrota na eleição de 2018, quando tentou vaga à Câmara Federal.

Em alguns casos, a mudança foi forçada por pedidos de exonerações; em outros, a decisão foi da própria governadora interina. Evidentemente que Daniela tem todo o direito de montar a sua equipe, mas fica no ar por que não esperar pela definição do impeachment? Afinal, se deputados e desembargadores decidirem pela volta de Moisés, alguns secretários recém empossados não conseguirão nem decorar o nome dos servidores mais diretos.

Lagoa da Conceição

A Comissão de Turismo e Meio Ambiente da Assembleia Legislativa aprovou, nesta quinta-feira, 29, a realização de uma audiência pública sobre o desastre ambiental provocado pelo rompimento da barragem da Casan na Lagoa da Conceição, em Florianópolis. A proposição foi objeto de requerimentos da deputada Paulinha (PDT) e do deputado João Amin (PP). A Câmara de Vereadores de Florianópolis participará do encontro em conjunto com a Assembleia Legislativa.

Homeschooling

A Comissão de Educação aprovou da Alesc aprovou dois requerimentos para realização de uma audiência pública virtual e a criação de uma comissão mista, envolvendo as comissões de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente e a de Legislação Participativa, para debater o ensino domiciliar (homeschooling) em Santa Catarina. As deputadas e professoras, Ana Campagnolo (PSL) e Luciane Carminatti (PT), presidente da Comissão de Educação, foram indicadas para integrarem a comissão mista que contará com cinco membros e terá 60 dias para analisar o projeto de lei complementar (PLC 3/2019), que regulamenta o ensino domiciliar.

Selo Nota 10

O Selo Nota 10 é a certificação oficial de estabelecimentos privados ou públicos que promovem em Santa Catarina a acessibilidade de pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida. O projeto de lei do deputado Felipe Estevão (PSL) foi aprovado por unanimidade e agora segue para a sanção da governadora Daniela Heinehr. “É um estímulo para o desenvolvimento de ações públicas e privadas que garantam e estimulem a acessibilidade em Santa Catarina”, afirma Felipe.

Vitória do esporte

A portaria do governo do estado que regulamentou a retomada das atividades de competição e práticas esportivas foi comemorada não só por esportistas em geral. O deputado estadual Fernando Krelling (MDB), defensor desde sempre da ideia, festejou. “O governo do estado e a secretaria de saúde entenderam a importância do exercício físico e da atividade física na vida de todos. Eles conseguiram enxergar como promoção em saúde e não só como entretenimento. Mostramos dados técnicos e conseguimos esta vitória, que é de todos”.