Por: Coluna Pelo Estado por Ewaldo Willerding | 01/06/2021

O alerta foi disparado pelo deputado estadual Moacir Sopelsa (MDB) em entrevista exclusiva à coluna Pelo Estado. Ao conquistarem o certificado de Área Livre de Febre Aftosa sem Vacinação, conferido pela Organização Mundial de Saúde Animal (OIE), Paraná, Rio Grande do Sul, Acre, Rondônia, Mato Grosso e parte do Amazonas passam a ser opções de compras de carnes, aumentando a concorrência e exigindo ações imediatas de Santa Catarina. O ex-governador Raimundo Colombo afirma que é o momento de o governo do Estado trabalhar de forma diferenciada para ampliar as conquistas obtidas até agora, fruto da união histórica entre setores público e privado. Colombo considera importante “evitar o vaivém de impostos e mudanças jurídicas que espantam investidores e ampliar mercados construindo novos diferenciais competitivos, começando com liderança em sustentabilidade e respeito ao bem-estar animal. É preciso mostrar que a nossa produção é qualificada e marcar, cada vez mais, presença no Exterior. Os catarinenses não podem pagar a conta por omissão do Governo”, ressalta o ex-governador.

Colombo lembra que até a semana passada SC era o único Estado do Brasil com essa certificação, o que possibilitava mais competitividade, geração de empregos e desenvolvimento em comparação aos demais estados. “Foi o reconhecimento dessa condição de excelência sanitária que permitiu Santa Catarina conquistar de 2011 a 2018 mercados exigentes, como o Japão, Estados Unidos e Coreia do Sul, compradores que alavancaram as exportações catarinenses”, salienta.

A certificação foi comemorada pela ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina: “O reconhecimento abre diversas possibilidades para que o ministério trabalhe pelo alcance de novos mercados”. A fala só reforça o desafio de Santa Catarina.

Chapecó

Com a chegada da variante indiana e o aumento de casos de coronavírus, Chapecó decidiu retomar as ações de monitoramento no Aeroporto Serafim Enoss Bertaso. Nesta segunda-feira, 31, o gerente da Vigilância em Saúde, Rodrigo Momoli; a coordenadora da Vigilância Epidemiológica, Lilian Galão; e o coordenador da Vigilância Sanitária, Maycon Benetti, estiveram reunidos no espaço, com objetivo foi organizar uma barreira sanitária na chegada dos voos de São Paulo, Campinas e Florianópolis. Não há outra ação similar nos demais aeroportos de SC.

“Futuro governador”

Em evento com o governador Carlos Moisés na sexta-feira, 28, o prefeito de Porto União, Eliseu Mibach (PSDB), solicitou apoio do Estado para abertura de trecho ligando a BR-280 à BR-153, obra classificada como “novo eixo de desenvolvimento”. Ao final da sua fala, Mibach reforçou o nome de Carlos Moisés para a reeleição. O prefeito, que cumpre o quarto mandato e é uma reconhecida liderança do Planalto Norte, afirmou: “Talvez, eu como prefeito, não poderei presenciar essa obra, mas vossa excelência, como futuro governador, certamente poderá inaugurar”.

Mesa Corporativa

A Fiesc, em parceria com o Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC), realiza nesta terça-feira, 1, o segundo encontro da Mesa Corporativa. O tema da conversa é Sucessão e traz como cases as empresas Altenburg Têxtil e Multilog. A primeira está em momento de transição familiar – o CEO Rui Altenburg, passa a gestão ao filho e diretor comercial, Tiago Altenburg. A Multilog é um exemplo que rompeu com o ciclo familiar, e o CEO Djalma Vilela vai contar como está sendo o processo.

Fight-Ratings

A Central Unicred que atende todas as Cooperativas de SC e PR recebeu, pelo segundo ano consecutivo, a nota A-(bra) da Fitch-Ratings, uma das maiores agências de classificação de risco de crédito do mundo. De acordo com a avaliadora, a Cooperativa Central apresenta a perspectiva de longo prazo como ‘estável e sólida’, baseada na metodologia para classificação de estruturas bancárias. “Esta é uma excelente nota, ainda mais se analisarmos o cenário mundial em que vivemos em 2020”, comemora Silvana Agostini, Diretora de Riscos e Compliance.