Por: Coluna Pelo Estado por Ewaldo Willerding | 1 mês atrás

A reunião virtual conjunta da Câmara de Transporte e Logística da Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC) e do Conselho de Infraestrutura discutiu essa semana o Plano Nacional de Logística (PNL), um conjunto de ações que traça cenários para 2035. O Plano foi apresentado pelo diretor de Planejamento do Ministério da Infraestrutura, Tito Livio Pereira Queiroz e Silva, e pelos representantes da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), Leandro Rodrigues e Silva e Tiago Baroni. O secretário de Mobilidade e Infraestrutura, Leodegar Tisckoski, recém empossado no cargo, também participou do evento. “Esperamos que SC finalmente seja inserida no contexto logístico nacional”, disse o presidente da FIESC, Mario Cezar de Aguiar, que viu, na apresentação, o atendimento a um antigo pleito. “O PNL incorpora a carga industrial, iniciativa sempre reclamada ao Ministério da Infraestrutura”, destacou Aguiar.

Mas num ponto chamou atenção: SC não está contemplada para receber investimentos ferroviários. O anseio seria a implantação dos eixos ferroviários leste-oeste e litorâneo, que ligariam os cinco portos catarinenses. Em 2020, os portos de SC registraram crescimento no volume de cargas, alcançando um total de 51,7 milhões de toneladas. A FIESC analisa o PNL e apresentará propostas até o dia 30 de abril, quando se encerra o prazo da consulta pública.

No evento, foi apresentado ao secretário Tisckoski uma relação de prioridades estaduais: 1) Conservação rotineira e preventiva e restauração das rodovias estaduais. 2) Projeto de intermodalidade para o estado e a atualização do plano aeroviário catarinense. 3) Acesso marítimo aos portos – dragagem da Babitonga e Itajaí – e acesso a Itajaí e Itapoá. 4) Atualização e resgate dos projetos ferroviários catarinenses. 5) Boa gestão dos processos de concessão dos portos de São Francisco do Sul e Imbituba. 6) BR 101 do Futuro.

Orçamento

A Alesc aprovou nesta quinta-feira, 8, as redações finais dos PLs do governo que tratam do repasse de verbas estaduais para rodovias federais. Na Comissão de Finanças e Orçamento, os projetos sofreram alterações. O valor no Plano Plurianual (PPA) 2020-2023 aumentou de R$ 750 milhões para R$ 800 milhões. Já o crédito suplementar passou de R$ 250 milhões para R$ 400 milhões, sendo R$ 200 milhões para a BR-470, R$ 100 milhões para a BR-163 e mais R$ 100 milhões para a duplicação da BR-280, entre Joinville e São Francisco do Sul.

Foco em 2022

O PSD terá candidato ao governo do Estado nas eleições de 2022. Essa foi uma das definições das metas anunciadas por lideranças do partido, em almoço realizado nesta terça-feira, 7, com a participação do deputado estadual Milton Hobus; do presidente do PSD-SC, o ex-governador Raimundo Colombo; e do ex-prefeito de Blumenau, Napoleão Bernardes. Todos, porém, adiantaram que a ideia agora é debater um projeto para Santa Catarina, pensando na eficiência, na desburocratização da máquina pública e na competitividade da economia catarinense. “As ideias abrem as estradas e os nomes vão liderar a caminhada”, destacou o ex-governador Raimundo Colombo.

Educação Física

Durante a sessão desta quinta-feira, 8, no plenário da Assembleia Legislativa, o deputado estadual Fernando Krelling (MDB) elogiou os profissionais de educação física e reivindicou para eles um lugar na linha de frente do combate à pandemia, uma vez que se dedicam à prevenção das doenças via atividade física. “Nós temos a vacina preventiva do exercício e da atividade física”, destacou Krelling, que pediu ao Executivo a liberação da prática de esportes “para as pessoas buscarem saúde”, destacou o parlamentar.

Reserva do Arvoredo

Membro da Comissão de Turismo e Meio Ambiente, a deputada estadual Paulinha (PDT) defende a recategorização da Reserva Biológica Marinha do Arvoredo, localizada no litoral de Santa Catarina, entre os municípios de Bombinhas e Florianópolis, uma discussão que dura duas décadas. “Para a sua preservação, defendemos que a Reserva do Arvoredo se transforme em um parque. Todos os estudos mostram que o mergulho contemplativo só vai ajudar nos cuidados que esse pequeno paraíso não recebe”, afirma.