Por: Coluna Pelo Estado por Ewaldo Willerding | 02/06/2021

Os vetos do governo aos projetos de lei que permitem o uso de recursos estaduais em obras de rodovias federais foram derrubados nesta terça-feira, 1, no plenário da Assembleia Legislativa. As matérias, que autorizam o crédito de R$ 350 milhões para as obras das BRs 470, 163 e 282, haviam sido vetadas pela governadora em exercício Daniela Reinehr (sem partido). O fato ocorreu quando ela substituiu o governador Carlos Moisés (PSL), durante seu afastamento em maio. Os vetos foram derrubados, porém, depois de muita polêmica. Na semana passada, o deputado João Amin (PP) pediu vistas de uma semana para melhor apreciação dos pareceres da PGE, já que no período de Daniela foi contrário; e, na volta de Moisés, a favor. Amin se disse alvo de críticas pesadas em redes sociais, inclusive no perfil de sua filha. “O deputado Ricardo Alba (PSL) é um irresponsável. Ele insuflou comentários nas redes sociais e disse que iria colocar o número de pessoas mortas na BR-470 enquanto eu estivesse analisando o projeto. Inadmissível”, disparou na tribuna do plenário. “Vou na Justiça descobrir quem fez esse comentário apócrifo”. Em seguida, Alba pediu a palavra e negou participação. “Gostaria que ouvissem meu pronunciamento, nunca disse isso e nem sou responsável por tais comentários em redes sociais”, retrucou.

O deputado Amin recebeu apoio dos parlamentares que estavam na reunião da CCJ, até mesmo de adversários históricos, como o deputado Moacir Sopelsa (MDB). “Quero me solidarizar com o deputado João Amin. Somos adversários, mas respeito muito o modo como a família Amin faz política”. Maurício Eskudlark (PL) reforçou: “É um direito constitucional o pedido de vistas”. Valdir Cobalchini (MDB) completou: “É inaceitável esse tipo de pressão”.

Com a derrubada, os recursos estaduais serão repassados ao governo federal para acelerar as obras nas três rodovias.

Apagão em Caçador

A queda de linha de transmissão de energia para Caçador e região do Alto Vale do Rio do Peixe, em razão do tornado que assolou o Meio-Oeste no sábado. O deputado Valdir Cobalchini (MDB) foi até a Celesc cobrar atitude, e, da tribuna da Alesc, desabafou nesta terça-feira: “O sentimento é de tristeza e revolta. É um verdadeiro absurdo”. Para Cobalchini, é inadmissível que a direção da Celesc não tenha se deslocado para comandar uma força-tarefa na região. “Não existe plano B?” , indagou, lembrando que só em Caçador são mais de 20 mil unidades desligadas.

Rede de Gás Natural

A SCGÁS anunciou investidos R$ 457 milhões até 2025 na ampliação da rede de distribuição de Gás Natural em SC. O novo pacote de obras é ainda maior do que o anunciado no ano passado, que previa aportes de R$ 410 milhões. Até 2025, a Companhia levará o Gás Natural a 15 novas cidades, chegando a 80 municípios atendidos. Só para expansão de rede serão aplicados mais de R$ 350 milhões e construídos cerca de 545 km de rede. Um dos objetivos é a continuidade do Projeto Serra. Para levar a rede até Lages – o município é abastecido por rede local e isolada – serão mais de R$ 110 milhões até 2025.

Vacinação

A preocupação com uma terceira onda do coronavírus foi levantada pela deputada Ada de Luca (MDB) na Alesc. A parlamentar confirmou junto ao governador Carlos Moisés e ao secretário André Motta Ribeiro. Ada defendeu o avanço da vacinação em massa para os catarinenses. “Meu apelo é que a vacinação avance o mais rápido possível e que o protocolo de tratamento pós-covid possa ser colocado em prática. Ao mesmo tempo, cada um precisa usar máscara, álcool e fazer o distanciamento”, disse Ada.

Saúde na Serra

A deputada Paulinha participou em São Joaquim, na manhã desta segunda-feira, 31, da Assembleia da Associação dos Municípios da Região Serrana (Amures), instituição que representa 18 municípios. No encontro, ela solicitou ao governo do Estado a liberação de R$ 1 milhão em recursos estaduais para o consórcio de saúde. Constituído há 21 anos, o Consórcio Intermunicipal de Saúde da Amures (Cis-Amures) conta hoje com 25 municípios vinculados e atende mais de 344 mil pessoas e é presidido pela prefeita de Urubici, Mariza Costa.