Por: Quirino Ribeiro | 23/12/2020

Um dos setores produtivos, importante e que muito emprega em Chapecó, o comércio varejista tenta se recuperar nesta reta final do ano diante do baque que sofreu com o fechamento compulsório das lojas por quase cinco meses, para conter a propagação do coronavírus na cidade. Um momento difícil vivido naquele momento ante o desafio de evitar as aglomerações e conter o avanço da Covid-19 e, ao mesmo tempo, tomar medidas capazes de estrangular um dos segmentos que mais dinamizam a economia local.

SE, NO INÍCIO DO ANO

A complexidade da situação era grande, agora parece maior. Depois de passar pelas ondas vermelhas, verde e voltar para a amarela, os lojistas, apostando na manutenção das regras de flexibilização, reativaram as contratações e refizeram os estoques em final de outubro e novembro. A aposta é recuperar as perdas com as vendas de Natal, que, apesar de toda a crise sanitária e econômica, ainda é a que tem apelo de consumo mais forte.

POR OUTRO LADO

A situação da pandemia nunca esteve tão grave na cidade. A poucos dias da data natalina, Chapecó vem registrando altos índices de contágio, número crescente de mortes e hospitais públicos e particulares superlotados. É uma situação limite, sendo que não se pode atribuir apenas ao setor varejista a piora no quadro da cidade. Há aglomerações de pessoas por todas as partes.

ALÉM DA GRANDE QUANTIDADE

De jovens na porta de bares – não necessariamente dentro dos estabelecimentos -, as festinhas privadas em granjas, os ônibus superlotados, as filas nos bancos e até as campanhas eleitorais, que protagonizaram, em algumas campanhas, comícios e festas de comemorações, também contribuíram para a gravidade da situação atual. São múltiplos os fatores que têm levado ao recrudescimento da Covid-19 na cidade.

E O RELAXAMENTO NÃO É SÓ AQUI

Cenas de praias lotadas em Balneário Camboriú e Florianópolis, principalmente no último final de semana, e nestes dias próximos ao Natal, chegam a assustar e parecem ignorar a gravidade da pandemia. Há muita preocupação com o que pode acontecer com as festas familiares de Natal e Réveillon. 

AUTORIDADES SANITÁRIAS 

Preveem um janeiro muito difícil em todo o país. Por outro lado, a promessa da chegada da vacina traz esperança, para todo o país. Mas, até lá, é preciso que todos tomem cuidado. Não dá para brincar com essa doença, que, até agora, já fez quase 120 mortes em Chapecó e cerca de 190 mil em todo o Brasil.

SICOOB MAXICRÉDITO

Um mês e meio após passar a incorporação no Rio Grande do Sul, o Sicoob MaxiCrédito põe em prática o plano de expansão no estado gaúcho. A Cooperativa inaugurou cinco novas agências: em Araricá; em Campo Bom; em Dois Irmãos; em Taquara e Parobé.

A INICIATIVA DEMONSTRA A SERIEDADE 

Do Sicoob MaxiCrédito e o quanto a instituição acredita no potencial da região, conforme afirma o presidente Ivair Chiella. “Para nós é uma honra e uma alegria estarmos em todas estas cidades. Inaugurar cinco agências em cinco dias é uma ação audaciosa, mas amplamente planejada e demonstra a nossa preocupação com a comunidade”.

O SICOOB MAXICRÉDITO 

Conta com outras sete agências no Rio Grande do Sul, nas regiões do Vale do Paranhana, Vale dos Sinos e Serra Gaúcha. “Estamos com um projeto de ampliação de atendimento muito bem estruturado para essa região. Vamos colocar em prática a força do cooperativismo e do Sicoob MaxiCrédito. Queremos fazer parte destas comunidades e promover a inclusão financeira para a população”, afirmou o presidente.

FUNDADA EM CHAPECÓ-SC

Onde mantém a sua sede, a instituição surgiu por um pequeno grupo de agricultores e hoje conta com quase 200 mil associados e chega a 90 agências distribuídas por Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Ivair Chiella destacou os benefícios que o Sicoob MaxiCrédito traz para a região. “A cooperativa, onde se instala, leva progresso, oportunidade de emprego, renda, dinheiro para investimento. Estamos muito felizes e temos certeza que vamos realizar um belo trabalho com a comunidade, com muita responsabilidade, gestão segura e mostrando a força da nossa cooperativa e do cooperativismo”.

THIAGO CAMARGO

Um dos superintendentes da região, disse que “a presença na comunidade e geração de negócios sustentáveis são dois pilares do Sicoob MaxiCrédito. Chegamos a essas cidades dispostos a contribuir com o desenvolvimento das pessoas e da comunidade. A gente acredita demais no potencial da região e é importante que os novos cooperados saibam que em uma instituição financeira cooperativa, o associado é o bem maior”, concluiu Thiago. (Fonte: Sicoob MaxiCrédito – Assessoria de Comunicação) 

“Deixe que o vento leve o desnecessário para longe e traga boas novas”.