Por: Quirino Ribeiro | 07/01/2020

O valor do fundo eleitoral deverá ser sancionado em R$ 2 bilhões, aprovado pelo Congresso para eleições municipais deste ano. Quantia sugerida pelo próprio governo no orçamento enviado ao Congresso. Para quem não sabe, fundo eleitoral é verba pública que partidos recebem em ano de eleição para financiar campanhas. As legendas também têm recursos do fundo partidário.

NO ANO PASSADO

Foram repassados aproximadamente R$ 928 milhões. Ou seja, é dinheiro de nossos impostos para fazer campanhas de interesses pessoais a nossas custas. Nós damos dinheiro para eles nos enganarem. Por outro lado, o salário mínimo teve um aumento de R$ 41, passando de R$ 998 para R$ 1.039. É ou não desproporcional? Afinal não temos direitos iguais?

NESTE ANO

Teremos novamente eleições municipais. Você já se perguntou se o candidato de tua preferência tem o olhar voltado para a cidade ou está apenas preocupado com o próprio umbigo? Lembre-se: não existe governo corrupto e população honesta. Se você quer melhorar o País, melhore-se!

REFLEXÃO

As decisões que tomarmos este ano irão envolver toda a nossa sociedade. Refletir sobre o nosso comportamento, os compromissos assumidos e a nossa omissão é necessário, se querermos pensar no que vamos e devemos fazer para que tenhamos menos problemas em todas as áreas. E mais, em busca de um Brasil com menos distorções sociais. Por certo isto nos levará a uma situação diferente da que estamos passando atualmente.

AS MUDANÇAS DO BRASIL

Não há como não reconhecer que tivemos mudanças. É bem verdade que não se constrói um país em apenas um ano. Os números não nos deixam enganar, basta olharmos para a economia. Tivemos um crescimento pequeno, porém positivo. Grandes mudanças no combate aos crimes, apesar de Congresso e STF terem lutado para conter as investigações da Lava Jato e libertar da cadeia os poderosos, usando as brechas da lei e criando outras sempre com a finalidade de poupar poderosos.

NA INFRAESTRUTURA

O País deu um grande passo e certamente mais privatizações virão porque a meta é diminuir o tamanho do Estado, inchado em todos os governos passados. Apesar de alguns veículos de comunicação insistirem em não mostrar que o Brasil está no rumo certo, vamos caminhar torcendo para a criação de mais empregos e menos violência. Tenho a certeza de que se o Brasil avançar nas suas reformas, quem sairá ganhando serão todos os brasileiros.

BALANÇA COMERCIAL

Pelo segundo ano consecutivo o saldo da balança comercial decepciona. Os piores resultados vieram das vendas de produtos manufaturados, como automóveis, veículos de carga, autopeças, plataformas de petróleo etc. Também nos produtos semimanufaturados houve queda de vendas. É bom esclarecer que no ano passado, houve queda nas exportações de US$ 5,2 bilhões, para Argentina, já que esse país vizinho vive grave crise econômica.

PRODUTOS AGRICOLAS

Em razão da crise da febre suína na China, houve expressivo recuo de US$ 6,727 bilhões nas vendas de soja com relação a 2018. Porém, pela primeira vez em quarenta anos, os produtos básicos representaram mais da metade das vendas brasileiras ao exterior.

AGRONEGÓCIO CATARINENSE

Seguiu batendo recordes nas exportações em 2019. Com um agronegócio produtivo e voltado para o mercado externo, nosso agro é segue bastante expressivo. O grande destaque deste ano foi o aumento nos embarques de carnes e a ampliação da presença internacional.

“A energia que você espalha é a mesma que você recebe. Surpresas são melhores que promessas”.