Por: Quirino Ribeiro | 22/01/2020

A volta às aulas será estimulante com linhas de atuação do Ministério da Educação sem viés partidário. Onde sobrevivem educadores e gestores de escolas públicas e privadas, a realidade é distinta. Em uma sala de aula a palavra é do professor, e os estudantes ouvindo em silêncio. É imperdoável a um professor valer-se dessa situação para buscar incutir em seus discípulos as suas próprias concepções, políticas em vez de lhes ser útil como é de seu dever, através da transmissão de conhecimento e de experiência cientifica.

DEVERES DO PROFESSOR

O Professor não se aproveitará da audiência cativa dos alunos para promover os seus próprios interesses, opiniões, concepções ou preferências ideológicas, religiosas, morais, políticas e partidárias. O Professor não favorecerá nem prejudicará os alunos em razão de suas convicções políticas, ideológicas, morais ou religiosas, ou da falta delas.

O PROFESSOR

Não fará propaganda político-partidária em sala de aula nem incitará seus alunos a participar de manifestações, atos públicos e passeatas. Ao tratar de questões políticas, sócio culturais e econômicas, apresentará aos alunos, de forma justa, isto é, com a mesma profundidade e seriedade, as principais versões, teorias, opiniões e perspectivas concorrentes a respeito.

DIREITOS

O Professor respeitará o direito dos pais a que seus filhos recebam a educação moral que esteja de acordo com suas próprias convicções. O Professor não permitirá que os direitos assegurados nos itens anteriores sejam violados pela ação de terceiros, dentro da sala de aula.

A DISSEMINAÇÃO DE INFORMAÇÕES

É essencial para se reforçar a função dos pais na orientação das crianças, do apoio aos profissionais das escolas para lidar com esses temas (inclusive capacitando-os para agir dentro de seus próprios lares) e, sobretudo, ter plena consciência do dado que deve basear todas as ações, mesmo entre estudantes adultos.

NO BRASIL

24,7 milhões de crianças portam celulares para acessar a internet, projeta pesquisa do Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação. A informação pode, de um lado, suscitar inúmeras ações de bom uso dos dispositivos e aplicativos, acompanhado de discurso sobre seu papel na Educação e no fortalecimento das relações sociais.

NO FRONT DA SALA DE AULA

A pegada vai além. Por inúmeras razões que não cabem neste espaço, o que se ressalta é o mau uso. Jovens que não se desconectam, com uso abusivo e viciado, incapazes de foco nos estudos, torturados por ansiedades além do normal, desatendidos por pais, necessitados, no fundo, que se importem por eles com eles.

NA EDUCAÇÃO FUNDAMENTAL E ENSINO MÉDIO

Formamos e deformamos crianças e adolescentes. É importante que a escola se posicione a favor dos alunos e da lei, sob pena de responsabilização civil da instituição de ensino e criminal dos administradores escolares.

APLICAÇÃO DE DEFENSIVOS POR DRONE

O 22° Itaipu Rural Show, exposição destaque nacional para o agronegócio, acontecerá em Pinhalzinho, de 29/01 a 01/02, uma realização da Cooperativa Regional Itaipu. A exposição, além de toda demonstração de novas técnicas, produtos e conhecimento, dá destaque as novas tecnologias.

UM DOS DESTAQUES NESSE SEGMENTO

É a aplicação de defensivos por Drone, uma nova tendência. A pulverização de agroquímicos é um dos principais fatores de manejo quando se tem o objetivo de obter o máximo potencial de uma cultivar e bons resultados na colheita. O uso de drone pulverizador vem apresentando bons resultados para os agricultores. A tecnologia no campo tem visado a atenuar os impactos ambientais e maximizar a conservação do solo com a utilização de novos equipamentos.

DRONES PARA PULVERIZAÇÃO

Possuem sensores de micro-ondas nas laterais e na frente que medem as variações do terreno. Possuem de algoritmos em seus sistemas que permitem a liberação da quantidade correta de produto, na altura e velocidade ideais. Assim, os drones proporcionam o máximo de economia e precisão e aplicação em áreas de difícil acesso. Economia de produto. Pouco contato do produtor com os agroquímicos. Utilização está regulamentada no país, aprovada pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

“O prazer no trabalho aperfeiçoa a obra”. (Aristóteles)