Por: Quirino Ribeiro | 1 mês atrás

Na iminência da liberação da vacina, é preciso sensibilizar a população para importância da imunização coletiva. Aglomerações desnecessárias que estão ocorrendo em agências bancárias para a realização de prova de vida. O procedimento é anual e obrigatório para todos os segurados da Previdência que recebem seu benefício por meio de conta corrente, poupança ou cartão. A proposta é evitar fraudes, mas, com a pandemia, o INSS vem prorrogando os prazos justamente para evitar filas desnecessárias.

OS FLAGRANTES 

Nas portas dos bancos mostram, no entanto, que a informação não está chegando ao público-alvo. Ou, se chega, parece não ser suficiente para impedir que os beneficiários, justamente os mais frágeis diante do Covid 19, acreditem que terão mais tempo para cumprir suas obrigações com a Previdência. Mas a corrida às agências faz sentido. Há um histórico de descaso no Brasil com os aposentados, e, diante da gravidade da crise, o medo de ficar sem o dinheiro no final do mês é maior do que o de pegar o Corona Vírus. 

NÃO SÓ EM BANCOS

As filas se acumulam todos os dias o que traz muito risco. É uma situação difícil, que também acontece em outros setores da cidade. Os pontos de ônibus da região central não deixam dúvidas de que evitar aglomerações tem sido uma tarefa difícil para o trabalhador que depende do transporte público para se locomover. Aqui, diferentemente da prova de vida, não há outra opção para o cidadão. Ele tem que enfrentar os coletivos lotados todos os dias se quiser garantir o sustento no final do mês.

AGLOMERAÇÕES COMO ESTA

Merecem uma atenção especial do Poder Público. Pessoas devem orientar a população nas ruas e evitar concentrações em portas de bancos, lotéricas e comércio. Cada cidade, com seu porte e sua especificidade, deve apresentar suas soluções, conforme as complexidades que se apresentam.

O ZÉ GOTINHA

Nas décadas de 1980 e 1990, foi a fórmula encontrada para sensibilizar os brasileiros para a importância da vacinação. Uma estratégia simples, com linguagem popular, que arrebatava crianças e pais durante as campanhas país afora. Agora, na iminência da liberação da vacina contra a Covid-19, é preciso saber dar o recado aos brasileiros sobre a importância da imunização em todo o território nacional. A campanha de distanciamento social e de uso de máscaras não cativou a todos. Mas a mobilização pela vacina não pode falhar.

REFORMA TRIBUTÁRIA

De acordo com a opinião da ACIC de Chapecó, as primeiras propostas do Governo Federal para reforma tributária são decepcionantes. É necessário um debate sereno, amplo e transparente em torno da reformulação do sistema tributário brasileiro, com clara indicação de onde recairão os ônus da mudança.

O QUE A SOCIEDADE 

Espera do governo não é o aumento de impostos, mas a racionalidade na gestão pública e a contenção de gastos. É curioso que não esteja na pauta do Governo a implantação de programas de avaliação de desempenho e controle de produção & produtividade dos agentes públicos, programas de qualidade na gestão das estruturas estatais e aperfeiçoamento dos serviços públicos.

POR FIM

A Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC) apela para que os 16 deputados federais e os três senadores que formam a diligente bancada parlamentar catarinense no Congresso Nacional atentem ao discutirem e votarem as propostas de reforma tributária.

“Se você falar com um homem numa linguagem que ele compreende, isso entra na cabeça dele. Se você falar com ele em sua própria linguagem, você atinge seu coração”.

(Nelson Mandela)