Por: Tadeu Costa | 04/02/2020

Linda demais a comemoração das Bodas de Prata, 25 anos de união desse belo casal, Deivid Oliveira e Sandra Balbinot. Os conheço há mais de 25 anos e lembro bem quando se uniram para formar essa bela família. Trabalhamos juntos no antigo Jornal O Iguaçu, o Deivid sempre muito dedicado, estudioso e atencioso. A Sandra um amor de pessoa, menina sempre educada e dedicada. Só poderia dar nisso. Com certeza, meu amigo Comendador Doacir Balbinot está muito feliz pela felicidade da Sandra e do Deivid, que formaram uma família maravilhosa. Com a graça de Deus, irão comemorar Bodas de Ouro, daqui a 25 anos. E, com a graça de Deus,  aqui estarei para registrar. Felicidades, queridos!

Seis Tijolinhos

* No posto de gasolina, na banca revistas, no supermercado, na mecânica, no banco… Por onde passei, ontem, a pergunta que me fizeram: Ô, Tadeu, e a nossa Chapecoense?

** Minha resposta para todos foi que a Chapecoense já entrou em campo quatro vezes pelo Catarinense, empatou dois jogos e perdeu dois. Jogou uma partida fora de casa e três na Arena Condá. Conseguiu perder para o Juventus de Jaraguá do Sul e Brusque. Está uma coisinha.

*** Também disse que falta de trabalho não é, que a diretoria está fazendo todo esforço para arrumar a casa. Disse que o técnico Hemerson Maria é trabalhador e conta com um grupo limitado de jogadores. Uns são muito fracos.

**** Acompanho A Chapecoense em Campeonato Catarinense, de forma ininterrupta, desde 2003. Então, lá se vão 17 anos. Que eu lembre, esse é um dos times de qualidade fraquíssima, pior que aquele de 2010, que acabou rebaixado e só não jogou a segundona em 2011 porque o Ibirama falou E cedeu a vaga.

***** Na entrevista depois do jogo, no microfone da Vang FM, o presidente Paulo Magro afirmou que jamais se pensa em trocar de treinador, até mesmo em caso de outra derrota, em Itajaí.  Magro também garantiu que os resultados irão aparecer e que tudo vai dar certo. Eu gosto desse otimismo do presidente.

****** Só que somos tão rodados nesse negócio de time de futebol que conhecemos o rengo sentado e o cego dormindo. Como diz o ditado: “Não é bem assim tirar leite de pedra…” Esses jogadores que aí estão são de qualidade limitada. Vários vão até ali e não conseguem ir adiante. Não há o que fazer. Eles não têm culpa de serem limitados.

Positivo: Talvez com uma semana cheia para treinar, o professor Hemerson Maria consiga achar um norte e acerte esse time para enfrentar o Marcílio Dias. Certamente virá outra vez com mudanças no time principal. Pior que não cria identidade.

Negativo: A lateral direita da Chapecoense também é um problema. Ano passado era só bola nas costas do Eduardo. Nesse ano, é bola nas costas, na frente e dos lados do Matheus Ribeiro. Muito limitado esse guri.

Três Toques

1-Domingo deve aparecer o Moisés como primeiro volante, contra o Marcilio Dias.

2-Sexta-feira, 07, ele está liberado para atuar. Ali podemos ter uma esperança.

3-Viram o gol do Brusque. Bola metida entre o Matheus Ribeiro e o Tharlis. Bem tranquilo pro Alagoano meter na rede.