Por: Tadeu Costa | 10/12/2019

A partir de hoje, nesse espaço, vamos destacar, até o final do mês, empresas e parceiros que estiveram conosco no decorrer do ano que está em contagem regressiva para terminar. Uma dessas empresas é a Mepar, dos amigos Pedro e Canisio. Pessoas fantásticas, humildes e empreendedoras. Começaram a Mepar de forma muito humilde e pequena. Hoje todos conhecem a grandeza que está essa empresa líder e referência no mercado de ferramentas, parafusos e uma série de produtos e itens que  se possa imaginar. De coração, meu desejo de um feliz Natal, um ano novo de muita prosperidade ao Pedro, ao Canisio e para toda a família Mepar.

 

Seis tijolinhos

 

* A Chapecoense encerrou domingo, no Maracanã, um ciclo de seis anos entre os considerados gigantes do futebol brasileiro. O sonho acabou, talvez como tivesse que acabar. Agora a vida da Chapecoense muda. Vem a nova reconstrução.

** De 2014 até domingo, contra o Vasco, a Chape se deparou com clubes que, um dia, jamais pensávamos que iria se deparar. Vivemos muitos momentos de felicidade, com grandes jogos e estupendas vitórias diante de  times que nunca pensávamos encontrar pela frente.

*** A partir de hoje, passamos a viver uma realidade que é o nosso mundo. E, diga-se de passagem, uma boa realidade, que todo clube de futebol gostaria de viver. Um 2020 vem aí, calendário cheio, com três campeonatos importantes.

**** A Chapecoense foi rebaixada como todos os vinte que disputam a Série A podem ser rebaixados. A forma como a Chapecoense caiu foi e continuará sendo questionada. Isso acontece com todos que caem. É nesse momento que as pessoas linhas de frente precisam ser inteligentes para dar a volta por cima.

***** O técnico Marquinhos Santos falava, em uma das suas entrevistas coletivas, que a  Chapecoense tem um só patrimônio, que é o seu torcedor. Verdade. No mais, o CT é alugado e o estádio emprestado. Nesses seis anos de Série A, a Chapecoense não conseguiu adquirir patrimônio.

****** Então, cabe aos dirigentes que assumiram o clube, agora numa realidade de Série B, resgatar seu patrimônio chamado torcedor. Não se pode mais afastar essas pessoas que amam esse clube e aprenderam admirar através do trabalho voluntário de tantos, que inclusive já não estão mais entre nós.

Positivo: Paulo Magro é o grande comandante da Chapecoense. Matou no peito e assumiu. Com quem falo na cidade só ouço opiniões de aprovação em relação à pessoa e carreira profissional do presidente da Chapecoense. Ele é aglutinador e vamos precisar muito disso em 2020.

Negativo: Termina a temporada do futebol nacional e Santa Catarina só levou laço. Rebaixamento fruto de um futebol pobre em todos os clubes. Má gestão de suas diretorias e uma federação cujo seu presidente é inerte. Pobre Santa Catarina no futebol em 2019.

Três Toques

1-Com a equipa Vang Esportes, transmitimos a última partida na temporada, domingo.

2-São cinco anos de Série A no microfone da número um da região, sempre com muito profissionalismo.

3- Um novo ano vem aí e a Chapecoense não vai parar. E nós vamos continuar com a nossa missão.