Por: Jornal Sul Brasil | 14/04/2020

O prefeito Luciano Buligon  fez na manhã desta terça-feira dia 14 uma coletiva de imprensa acompanhado pela Doutora Aldarice Pereira da Fonseca, diretora técnica da secretaria de saúde,  e Maristela Bisognin Santi Rocha, secretária de saúde. Durante a entrevista o prefeito destacou a importância da união das redes e dos sistemas de saúde,  enalteceu a estabilidade dos números conseguida via isolamento social.

Aldarice atualizou os dados e comentou que Chapecó segue com seis casos suspeitos, dos quais cinco pacientes estão em isolamento domiciliar e um internado. Os confirmados seguem em seis casos, dos quais cinco pacientes já estão recuperados e um segue em isolamento. Um total de 74 casos já foi descartado.  O centro de triagem médica fez desde o início de suas atividades 1.161 atendimentos via telefone, e no ambulatório de campanha foram atendidas 389 pessoas.

Aldarice reforçou ainda que Chapecó tem registrado a circulação de pessoas com casos suspeitos da doença, e que deveriam estar isolados em casa, e enalteceu que tal ação é crime passível de punição uma vez que viola as leis de defesa sanitária. Ela ainda pediu a população para usar máscaras e dentro da possibilidade evitar sair de casa.

“Se você tiver que sair de casa pra trabalhar, se você tiver que sair pra comprar alguma coisa que seja necessária, pedimos que use mascará, fique distante das pessoas, lave as mãos constantemente, passe álcool gel, isso vai fazer com que o Covid não passe de uma pessoa para outra, você não vai infectar ninguém e não vai ser infectado” garantiu Luciano.

Maristela salientou que a secretaria de saúde já traçou um plano de ação com as estruturas já existentes em Chapecó, classificou a atual situação como tranquila, mas enalteceu que o Hospital Regional do Oeste é de grande porte e de referência na região, e que no caso do aumento dos casos tanto de Covid-19, tanto quanto de outras doenças, as estruturas de UTI poderão sofrer lotação, e por isso pediu consciência e cuidado. Destacou ainda o aporte de recursos para proteção de servidores e o repasse do ministério da saúde que deve auxiliar o município a enfrentar os efeitos da pandemia.

Buligon enfatizou “não tem ninguém passando fome em Chapecó” e completou dizendo que na segunda-feira foram entregues 228 cestas básicas, comentou ainda o bom trabalho desenvolvido pela secretaria de assistência social que tem monitorado famílias necessitadas e feito as doações necessárias com recursos próprios e com a ajuda da solidariedade da comunidade.

Questionado sobre as obras públicas Luciano enalteceu que todo o valor que está sendo aplicado na infraestrutura é fruto de financiamento e só pode ser usado ali. ” Não existe a possibilidade de pegarmos esse recursos e usarmos em outra área. Temos 130 milhões de reais financiados em obras públicas para Chapecó, e esse valor é importante que gire na nossa economia que já está muito afetada pelo Coronavírus, além do que cada obra é de suma importância para a cidade”, garantiu.

Para finalizar Buligon pediu o sempre otimismo e disse que a colaboração de todos tem feito diferença nos números. Registrou que houve aglomerações no comércio e pediu cuidado as pessoas, e enalteceu a força da doença, citou que em caso de aumento descontrolado dos casos o isolamento extremo pode voltar a ser necessário.

Coletiva de imprensa 14/04/2020

🔴 Coletiva de imprensa nesta terça-feira (14) com as últimas informações sobre o coronavírus em Chapecó. Participam da coletiva o Prefeito Luciano Buligon e representantes da Secretaria Municipal de Saúde. A transmissão conta com o apoio da interprete de libras.#chapecó #coronavírus #saúde #coronavíruschapecó #prevenção

Publicado por Prefeitura de Chapeco (Oficial) em Terça-feira, 14 de abril de 2020