Por: Jornal Sul Brasil | 11/05/2020

Chapecó registrou neste ano, 84 casos confirmados de dengue através de exames do LACEN – Laboratório Central de Saúde Pública. Dos 84 casos, 73 são autóctones, 03 importados e 08 estão em investigação do local de infecção. Durante o ano de 2020, foram investigados 290 casos de dengue, destes 183 casos negativos e 23 estão aguardando resultado de exames.

O pedido da Secretaria de Saúde é para que a população receba os Agentes de Combate as Endemias e siga as orientações repassadas pela equipe. Além disso, é necessário eliminar os depósitos que possam acumular água e fazer uma vistoria no terreno para recolher todos os possíveis criadouros. Tampas, garrafas, potes, vidros, enfim, tudo precisa ser recolhido e colocado adequadamente nas lixeiras ou armazenado em local coberto.

A população também precisa usar repelente e estar atenta aos sintomas, e procurar o serviço de saúde mais próximo. Os principais sintomas da dengue são febre alta acima de 38.5ºC; dores musculares intensas; dor ao movimentar os olhos; mal estar; falta de apetite; dor de cabeça e manchas vermelhas no corpo.

Números de casos registrados ou investigados

 

A situação epidemiológica de Chapecó teve em 2016, 3.127 casos investigados de dengue, com confirmação de 820 casos. Já em 2017 foram investigados 507 casos com um caso importado. Em 2018 foram investigados 227 casos, todos negativos. Em 2019, já foram registrados 324 casos, destes 305 negativos e 18 confirmados.

Os casos de Zika registrados em 2016 foram 38 casos e 03 positivos. Em 2017, 03 casos foram investigados e tiveram resultados negativos. Em 2018, teve 01 caso negativo e 02 aguardam confirmação. Em 2019, 06 casos suspeitos foram investigados, e um aguarda resultado de exames. Em 2020, 07 casos foram registrados, destes 06 negativos e 01 aguardando resultado de exame.

Os números de chikungunya são em 2016 foram investigados 166 casos, com confirmação de quatro casos. Em 2017, foram 15 casos investigados com 02 confirmações. Em 2018, 08 casos negativos foram registrados. Em 2019, 11 casos foram registrados, 10 negativos e um confirmado. Em 2020, 04 casos da doença foram registrados, 02 negativos e 02 aguardam resultado de exame.