Por: Jornal Sul Brasil | 06/05/2020

Na manhã desta quarta-feira dia 6, o Prefeito Luciano Buligon fez a coletiva acompanhado pela infectologista Carine Kolling e com a secretária de Assistência Social Ulda Baldisserra. No início de sua fala Buligon ressaltou que o aumento de casos é reflexos das aglomerações registradas nos feriados, finais de semana e na Páscoa, e enalteceu que não é hora de se juntar, que isso vai contra o que determina as autoridades sanitárias e é a única forma de evitar o contágio em grande escala.

A doutora Carine atualizou que os casos confirmados de Covid-19 subiram para 206, destes 14 pacientes estão recuperados, 189 estão isolados e três internados, dois em UTI e um em leito de enfermaria. Os casos suspeitos são 128 dos quais cinco internados, um em UTI e o restante em enfermaria, e 123 isolados. Até agora 355 casos foram descartados. Quatro pacientes com casos confirmados de outros municípios estão internados em Chapecó em leitos de UTI e dos pacientes com casos suspeitos estão internados em enfermaria.

Ulda Baldisera participou da coletiva para lançar um cartão social, com o objetivo de dar mais autonomia às famílias na aquisição de alimentos necessários. Com isso, as famílias que têm direito recebem o benefício Alimentação em forma de cartão e não mais retirando a cesta básica. O cartão já começará a funcionar no mês de maio, sendo implantado gradativamente em todos os sete CRAS – Centro de Referência de Assistência Social de Chapecó.

Conforme a secretária, a alteração oferece maior praticidade às famílias, pois muitos beneficiários não tinham meios de carregar as cestas, que pesam em média 20 quilos, e encontravam dificuldades para o transporte dos alimentos até suas casas. Com a mudança, as famílias receberão o cartão e poderão escolher e administrar suas prioridades de consumo, realizando elas mesmas as compras no supermercado e farmácia. Outro ponto positivo atribuído ao Vale Cidadão, é o incremento para o comércio local, já que diversos estabelecimentos do município estarão credenciados. Ela também lembrou que a medida movimenta o comércio local, ao invés de manter contratos de licitação com apenas uma empresa, que fazia o fornecimento das cestas.

De acordo com a Secretária de Assistência Social de Chapecó, Ulda Baldissera, antes do cartão era a equipe quem definia o que as famílias podiam comer já que as cestas estavam prontas. Agora cada um compra o que precisa. Ela observa, entretanto, que o vale deve ser usado somente para adquirir alimentação essencial, não podendo adquirir, por exemplo, cigarro ou bebidas alcoólicas. “O cartão facilita a logística social e dá autonomia na compra dos alimentos. Se a família precisa de um sabonete, um shampoo, um produto de limpeza, agora ela pode comprar”, enfatizou.

As famílias podem buscar atendimentos e informações nos CRAS – Centro de Referência em Assistência Social. Não é necessário fazer um novo cadastro, as famílias que já são atendidas pelo CRAS, no momento da próxima visita, serão orientados sobre as mudanças e receberão o cartão de acordo com a realidade de cada família. O Vale Cidadão pode variar entre 14 à 23 UFRM, que hoje vale R$ 4,3328. Quando a família procurar o CRAS e as equipes avaliarem a realidade de cada uma delas, através de critérios técnicos.

Ao final da coletiva Luciano lembrou que a doença está espalhada na cidade e que já vivemos a contaminação comunitária e por isso é necessário que cada um preserve a si e ao próximo para que juntos se possa diminuir as taxas de contágio no município.

 

Coletiva de imprensa 06/05/2020

🔴 Coletiva de imprensa nesta quarta-feira (06) com as últimas informações sobre o coronavírus e o Vale Cidadão que será implantado em Chapecó Participam da coletiva o Prefeito Luciano Buligon, representantes da Secretaria Municipal de Saúde e da Assistência Social.A transmissão conta com o apoio da interprete de libras.#chapecó #coronavírus #saúde #coronavíruschapecó #prevenção

Publicado por Prefeitura de Chapeco (Oficial) em Quarta-feira, 6 de maio de 2020