Por: Jornal Sul Brasil | 1 mês atrás

A Federação Catarinense de Futebol emitiu, no final da tarde deste sábado dia 11, uma resolução que confirma o adiamento dos jogos de volta das quartas de final do Campeonato Catarinense.

A decisão foi tomada após a Vigilância Sanitária da Secretaria do Estado da Saúde ter expedido uma notificação à entidade determinando o adiamento da partida entre Avaí e Chapecoense, que aconteceria neste domingo dia 12, na Ressacada.

Conforme a informação divulgada pelo governo do Estado, a medida levou em consideração o item XXIX do artigo 8º da Portaria SES nº 466 de 6 de julho de 2020, que regulamenta as medidas sanitárias e o risco epidemiológico durante a pandemia do coronavírus.

Uma das equipes, segundo o governo do Estado teve 14 casos confirmados para Covid-19 e será necessário afastamento de todos os atletas para seguir as medidas necessárias de proteção. A Secretaria de Estado da Saúde segue atenta a qualquer avanço de transmissão e essas medidas são tomadas para resguardar a saúde de todos.

Diante das determinações, a Associação Chapecoense de Futebol, que já estava em Florianópolis, retornará a Chapecó e aguardara a remarcação, em momento oportuno, das partidas.

Os casos confirmados de Coronavírus foram informados pela equipe na sexta-feira. Em seu site por meio de um comunicado a Associação Chapecoense de Futebol – por meio da sua Diretoria e do seu Departamento Médico – informou que, após a divulgação do resultado dos testes RT-PCR – realizados, na última terça-feira dia 7, a fim de cumprir uma exigência da prefeitura de Florianópolis – alguns integrantes da comissão técnica e do elenco alviverde testaram positivo para o Covid-19. Diante dos diagnósticos, todos os profissionais foram prontamente afastados para cumprir o período de quarentena.

Na nota o clube reiterou que todos os atletas e profissionais da comissão técnica que integraram a delegação na viagem para a capital catarinense tiveram seus resultados negativados.

Por meio de nota ainda, a Associação Chapecoense de Futebol esclareceu que, em nenhum momento, divulgou qualquer informação a respeito dos colaboradores positivados e  não confirma a suposta lista que está circulando em grupos e redes sociais.

Por respeito e, principalmente, cumprimento à ética e ao sigilo médico, o clube se atém ao direito de preservar o nome dos contaminados.