Por: Jornal Sul Brasil | 1 mês atrás

Na manhã desta quinta-feira aconteceu no Centro de Cultura e Eventos Plínio Arlindo De Nes uma nova reunião da Comissão de Resposta ao Coronavírus quando na ocasião foi avaliado o atual quadro da Pandemia em Chapecó.

Os integrantes através das manifestações demonstraram toda a preocupação com o aumento dos índices e a ocupação hospitalar, principalmente dos leitos de UTI que hoje atendem Chapecó e toda região. “Neste momento a nossa principal atitude é apelar para a conscientização das pessoas”, destacou o Prefeito Luciano Buligon.

Os representantes das Forças de Segurança (Guarda Municipal e Polícias Civil e Militar) também enfatizaram a falta de engajamento de muitas pessoas e um maior respeito às normas sanitárias vigentes. Isso por consequência gera dificuldade na fiscalização. As ações são permanentes e contam com o auxílio da Vigilância Sanitária desde os primeiros meses do ano.

Os representantes das entidades empresariais Nelson Akimoto (ACIC), Claudinei Pacheco (CDL) e Ricardo Urbancic (SICOM) enalteceram que serão feitos novos esforços na política de conscientização deste segmento, como por exemplo, o uso consciente da máscara e outras medidas de prevenção.

A Comissão decidiu no encontro de hoje recepcionar (a partir de 30/10) as Portarias estabelecidas pelo Governo do Estado para o nível Grave (Laranja). Ficam definidas as seguintes proibições:

Biblioteca (Portaria 738/2020)
Casas Noturnas/PUBS (Portarias 744/2020, 592/2020 e 822/2020).
Cinema/Teatro (Portaria 592/2020 e 737/2020)
Conferências Publicas e Privadas (Portaria 592/2020)
Corrida de Rua (Rústicas) (Portaria 703/2020)
Praças e Parques (Portaria 391/2020 e 592/2020)
Prova de Roupa (Portaria 257/2020 e 708/2020)
Shows/Espetáculos (Portaria 592/2020)

Portaria – A Polícia Civil estuda a possibilidade da edição de uma portaria que defina os horários de funcionamento de bares, restaurantes e similares, conforme o grau de risco baseado nos mapas elaborados pelo Governo do Estado, divulgados semanalmente. Essa iniciativa possibilita que a Polícia Civil estabeleça diretrizes para fiscalização conjunta de todos os órgãos de Segurança Pública, sem comprometer o que define a legislação que trata dos alvarás de funcionamento e a própria Lei da Liberdade Econômica.