Por: Jornal Sul Brasil | 29/07/2020

O Prefeito de Chapecó, Luciano Buligon, anunciou na quarta-feira dia 29 novas medidas para enfrentamento da Covid-19. As decisões apresentadas são baseadas em números e índices e definida em reunião estratégia que aconteceu na terça-feira dia 28 e que reuniu o Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus. As novas ações estão previstas em decreto e começam a valer na sexta-feira dia 31.

Conforme o decreto, bares, restaurantes, lanchonetes e similares serão condicionados a funcionar até as 18 horas. A regra passa a valer no dia 31 e tem validade até o dia 15 de agosto. Após as 18 horas as empresas podem ofertar serviço de tele-entrega ou retirada. Nos dias 2 e 9 de agosto foi decretados que estes estabelecimentos possam funcionar apenas até as 15 horas.

Ainda no dia 2 e dia 9 de agosto o município decretou a suspensão do funcionamento de estabelecimentos comerciais como forma de diminuir a circulação de pessoas. Além das novas medidas apresentadas, estão valendo ainda restrições que anteriormente já haviam sido divulgadas como a suspensão do transporte coletivo, o fechamento de Parques, praças e áreas de lazer; a suspensão de aulas e de ações de inclusão do idoso bem como o não atendimento dos restaurantes populares.

A diretora técnica da secretaria de saúde Aldarice Pereira da Fonseca participou da coletiva e atualizou que Chapecó registra 4.189 casos confirmados de Coronavírus, com 3.513 recuperados, 631 em isolamento domiciliar, 17 óbitos, 20 pacientes internados em UTI e oito internado em enfermaria. O último óbito confirmado é de um senhor de 71 anos.

São mil os casos suspeitos, dos quais 13 internados em enfermaria, 7 em UTI e 980 em isolamento domiciliar. Desde o início da pandemia foram monitorados 10.463 pessoas que apresentaram algum sintoma de doença respiratória dos quais 10.111 testados e 4.922 descartados.

Os pacientes residentes de outros municípios são 18 com 11 óbitos, dois internados em enfermaria e 5 em UTI. Os casos suspeitos são 3, com dois internados em enfermaria e um em UTI.

O Ambulatório de Campanha do Centro prestou 4.833 atendimentos e o da Efapi 5.327. O serviço de triagem médica efetuou 10540 atendimentos e o de escuta e acolhimento 1.470, ambos desde o início da pandemia.

A Vigilância Sanitária efetuou 924 vistorias que resultaram na aplicação de 84 multas sendo 14 por não uso da máscara, 36 por aglomerações e 34 por não cumprimento do isolamento domiciliar.

Como forma de contextualizar o cenário, o cirurgião cardiovascular e diretor técnico do Hospital da Unimed de Chapecó Doutor Mario Gotto participou da coletiva e falou do temor da doença que é desconhecida no mundo todo e que está obrigando a aprender durante a crise. O médico manifestou sua profunda preocupação com o cenário que Chapecó está vivendo e disse temer um aumento significativo dos casos. “Em um dia ás 10 horas da manhã estava com um paciente com Covid-19 internado na UTI, e no final do tarde para minha surpresa esse número subiu para seis. A doença é letal, enquanto em casos clínicos a pessoa fica, um dois dias na UTI com a Covid-19 a média sobe para 15 dias, temos casos de 60 dias internado. Não é só o leito demanda profissionais especializados haja vista a complexidade que o tratamento exige,” esclareceu.

Mario salientou ainda ser necessária a colaboração das pessoas. ” Eu tenho menos medo de andar no Hospital na ala dos pacientes internados com Covid-19 do que na rua, tamanho o descumprimento e a falta de cuidado de algumas pessoas. Não adianta se criar leis se o cidadão não respeita, faz seu churrasco no fundo de casa longe dos olhos dos outros e pode ali estar disseminando a doença. Precisamos de cada um faça sua parte, cumpra seu papel de cidadão,” salientou.

Ao retomar a fala Buligon mais uma vez enalteceu que todas as decisões tomadas são técnicas e pediu colaboração. ” Estamos fechando a torneira a medida que há um descumprimento das pessoas das medidas de restrição de convívio social. Vamos aumentar as multas, vou encaminhar um projeto para cassarmos o alvará de empresas que insistam em manter aglomerações, porque estas são um deboche, um tapa na casa pra quem está na linha de frente do combate a doença, da mãe que deixa seus filhos em casa e vai para uma UTI tratar um paciente com Covid-19. Estamos trabalhando para aumentar o número de leitos incansavelmente, mas não poderemos atender a todos caso cada um não faça sua parte, seu papel é não se contaminar e não contaminar os outros e assim ajudar-nos a vencer essa guerra,” finalizou.

Coletiva de imprensa 29/07/2020

🔴 Coletiva de imprensa nesta quarta-feira (29) com as últimas informações sobre o coronavírus.Participam da coletiva o Prefeito Luciano Buligon e representantes da Secretaria de Saúde.A transmissão conta com o apoio da interprete de libras.#chapecó #coronavírus #saúde #coronavíruschapecó #prevenção

Publicado por Prefeitura de Chapeco (Oficial) em Quarta-feira, 29 de julho de 2020