Por: Jornal Sul Brasil | 05/10/2020

Chapecó registra neste mês de outubro aumento do Índice de Confiança do Consumidor (ICC), depois de queda no mês passado. É o que mostra levantamento realizado em parceria entre o curso de Ciências Econômicas da Unochapecó e a Divisão de Pesquisa e Estatística do Sindicato do Comércio da Região de Chapecó (Sicom). O ICC mostra aumento dos 71,77 pontos registrados em setembro para 72,32 em outubro, com variação positiva de 0,77%.

Na pesquisa, foram ouvidas 87 mulheres e 56 homens, de forma segmentada por gênero, idade e renda. As entrevistas ocorreram de 14 a 29 de setembro, por meio do Google Formulários. O aumento do índice de confiança foi puxado pelo grupo dos consumidores que têm renda inferior a R$ 2 mil (8%), acompanhado pelo grupo das pessoas com renda entre R$ 2 mil e R$ 4 mil (7,19%) e pelos indivíduos com menos de 24 anos (5,78%). Quanto à preocupação com o novo coronavírus, 47,7% dos respondentes apontaram que estão menos preocupados, enquanto 36,0% mantêm a mesma preocupação, 15,3% estão mais preocupados e 0,9% não souberam ou optaram por não responder.

Para a responsável pelo levantamento do ICC, professora Cássia Heloisa Ternus, o resultado positivo pode ser explicado pela melhoria nas perspectivas dos consumidores em relação ao futuro da situação econômica das suas famílias e do país, enquanto as avaliações sobre a situação atual pioraram. Quanto a isso, ela destaca que “os consumidores podem ter ficado apreensivos com a situação atual em função do aumento de preço que diversos alimentos registraram em setembro e das notícias sobre inflação, além da desvalorização do real”. Apesar disso, ressalta que o cenário vislumbrado para o futuro ainda é positivo e pode ter relação com o alívio de algumas medidas de restrição em função do Covid-19 e achatamento da curva de contaminação.

Subíndices resultados

O Índice de Condições Econômicas (ICE) reduziu em 7,66%, na comparação com setembro, de 68,89 pontos para 63,62. Já o Índice de Expectativas de Consumo (IEC) teve variação positiva, de 5,61% e 77,66 pontos, ante 73,53 pontos no mês passado.

Outra variação positiva está no Índice de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (IEIC) que subiu 3,52%, de 122,31 em setembro para 126,62 pontos em outubro. Entre os 143 consumidores entrevistados, 76,22% têm alguma obrigação a pagar. Entre os endividados, 14 consumidores, ou seja 12,96%, também revelaram que estão com obrigações em atraso, especialmente cartão de crédito e débito em lojas.

Outros dados

A pesquisa ainda mostra que os entrevistados tiveram aumento na expectativa de gastos extra médio – R$ 527,27 -, enquanto que a expectativa de gastos pela internet é em média de R$ 161,08 em outubro.  Os números indicam, também, a renda média de R$ 3.650,88.