Por: Jornal Sul Brasil | 04/11/2020
O contato direto com a comunidade e a realidade profissional sempre estiveram no DNA da Unochapecó. Mas, a partir de 2021, isso estará ainda mais em evidência. A formação baseada em experiências trará um grande diferencial ao futuro egresso da Universidade. Uma reestruturação nos Projetos Pedagógicos dos Cursos (PPCs) de graduação oportunizará, desde o primeiro semestre, o contato do estudante com a prática, solucionando problemas reais da comunidade. Essas mudanças fazem parte de um novo modelo de ensino que será implantado: a Aprendizagem Baseada em Experiências (ABEx).

A mudança busca tornar os acadêmicos ainda mais preparados para o mercado de trabalho, sem contar a parte humana e de relacionamento interpessoal, tornando-os profissionais diferenciados. As ABEx são componentes curriculares com abordagens pedagógicas ativas, para desenvolver competências pessoais, interpessoais, sociais, profissionais e específicas nos diferentes cursos de graduação. Esta metodologia irá fornecer um contato com situações-problema vindas da comunidade e da realidade do mercado de trabalho.

“Como resultado desta metodologia, por exemplo, os antigos TCCs poderão ser reconfigurados e transformados em TCC/Startups, gerando negócios, soluções e produtos que venham impulsionar a economia da nossa região e do país”, acrescenta o reitor da Unochapecó, professor Claudio Jacoski.

Além de aproximar os estudantes da comunidade, a ABEx também proporcionará a integração entre diferentes cursos. Uma alteração que facilitará esse contato é a criação de escolas do conhecimento. Elas vão integrar os cursos naquilo que eles têm em comum, facilitando as ações voltadas à oferta de novos produtos e/ou serviços à comunidade. Os cursos integrantes da mesma escola poderão unir esforços para solucionar um problema, assim como cursos de outras áreas do conhecimento também poderão interagir. Serão seis escolas do conhecimento: Escola de Gestão e Negócios, Escola de Comunicação e Criatividade, Escola de Humanidades, Escola de Saúde, Escola de Agrárias e Ambiente e Escola Politécnica.

Para reforçar esse contato com a comunidade, que é o diferencial da Unochapecó, a extensão da Universidade também foi toda curricularizada. Isso significa que as atividades farão parte dos projetos pedagógicos dos cursos, reforçando o aprendizado na prática. Assim, todos os estudantes terão a oportunidade de fazer parte dos programas e projetos de extensão da Uno.

Outra mudança significativa diz respeito à adesão do modelo de semestralidade, ao invés do regime de créditos, que é o atual. A partir de 2021, os estudantes da Universidade passam a atuar em períodos semestrais e não mais com créditos por disciplinas. Com isso, a Unochapecó passa a ter um preço fixo nas mensalidades dos cursos, valores que até então variavam de acordo com o número de créditos cursados pelo estudante. “Temos certeza que, assim, os valores dos cursos caberão no bolso do nosso estudante”, finaliza o reitor.