Por: Jornal Sul Brasil | 06/05/2020

A estiagem que se estende desde 2019 tem se intensificado em 2020. Chapecó está em situação de emergência desde 29 de janeiro deste ano em função da falta de chuva. O somatório das médias históricas de precipitação pluviométrica dos últimos 50 anos em Chapecó, entre os meses de janeiro a abril, é de 850,4 milímetros. Em 2020, no mesmo período, choveram apenas 383,2 milímetros, ou seja, 45% do esperado. Os dados são da Epagri/Ciram – Centro de Informações de Recursos Ambientais e de Hidrometeorologia de Santa Catarina.

A situação é grave e, em algumas comunidades, dificulta o consumo humano e a animal. A chuva desta semana amenizou um pouco o sofrimento no campo, mas foi insuficiente para mexer com as águas de fontes, açudes e poços profundos. Diante da situação, a Prefeitura de Chapecó, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente (SEDEMA), intensifica o Programa Água Boa, com a abertura de fontes, limpeza de reservatórios de água para consumo animal, perfuração de poços artesianos e construção de redes.

Nas últimas semanas foram realizadas ações para melhorar as redes da Linha das Palmeiras e Barra da Chalana, além da construção de fontes e perfuração de poços artesianos nas Linhas Gamelão e Henrique. Durante esta semana, o trabalho está programado nas comunidades de Alto São José do Capinzal, Linhas Serrinha e Tomazelli, com poços artesianos. Também está no cronograma da Equipe de Água concluir a Rede na Linha das Palmeiras e abrir fontes no Bom Retiro e na Linha Cachoeira.

A realidade no interior poderia estar ainda mais difícil se não fosse o trabalho preventivo de atenção às comunidades mais vulnerárias com relação a demanda de água. O Programa Água Boa tem como objetivo o desenvolvimento sustentável com uma melhor qualidade ambiental e de vida da população, por meio de um conjunto de atividades de recuperação, melhorias e conservação da qualidade dos recursos hídricos, florestais e do solo. “Somente em 2019, atendemos 310 novas famílias, suprindo suas necessidades de água. Desde que o programa iniciou, em 2014, foram mais de 2.500 famílias contempladas”, detalhou o Secretário Valdir Crestani.

 

Abastecimento por Caminhões-Pipa

 

Emergencialmente, para garantir água ao consumo humano no interior, dois caminhões-pipa da Secretaria de Infraestrutura Urbana (SEINFRA) circulam diariamente, atendendo a um cronograma organizado por demandas e prioridades.  Cada caminhão tem capacidade para oito mil litros.

 

O último relatório de abastecimento de água no interior para o consumo humano contabilizou que 230 mil litros chegaram a 16 comunidades de Chapecó, no período de 04 de abril a 04 de maio de 2020. Entre as comunidades abastecidas estão: Distrito de Marechal Bormann, Linha Sede Trentin, Linha das Palmeiras, Linha Serrinha, Linha São Roque, Linha Caravággio, Linha São Rafael, Linha Marcon, Rodeio Bonito, Tafona, Alto Capinzal, Bom Retiro, Água Amarela, Linha Battistello, São Pedro A e Linha Pinhalzinho.

Segundo o Secretário de Infraestrutura Urbana, Max Well de Lima Ramos, as demandas de abastecimento de água no interior por caminhões pipa podem ser solicitadas no telefone geral da Secretaria: 3319-3600, das 7h às 13hs. “Em outros horários, o Município também recebe os pedidos da comunidade pela Ouvidoria, no 3321-8484, pelo Portal do Cidadão no site da prefeitura, e ainda pelo aplicativo ONB Digital Chapecó. As demandas são atendidas por ordem de cadastro, mas também por prioridade, já que vivemos um período atípico, de situação de emergência em saúde pública e também pela falta de chuva”, explicou o Secretário.