Por: Jornal Sul Brasil | 29/04/2020

Em coletiva de imprensa na tarde desta terça-feira dia 28, na Cantina Cesec, os presidentes das quatro entidades empresarias de Chapecó fizeram apelo aos seus associados e à população do município para o cumprimento das medidas preventivas determinadas pelos órgãos de saúde no combate ao novo Coronavírus. As lideranças cobram maior comprometimento dos empresários, funcionários e consumidores para evitar a ampliação do contágio no município, fator que pode reforçar o isolamento e reestabelecer o fechamento dos estabelecimentos do setor produtivo.

Participaram da coletiva os presidentes da Associação Comercial e Industrial de Chapecó (ACIC), Nelson Akimoto; da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Clóvis Afonso Spohr; do Sindicato do Comércio da Região de Chapecó (Sicom), Ricardo Urbancic; e o vice-presidente do Centro Empresarial de Chapecó (CEC), Adilson Campos. Ambos reforçaram a importância de assegurar o funcionamento dos setores para evitar o agravamento da crise que já fechou empresas, demitiu 12.580 trabalhadores e reduziu em R$ 289 milhões o movimento econômico do município, conforme pesquisa divulgada pelo Sebrae na última semana. O temor das lideranças é o de que além de provocar um possível colapso no sistema de saúde, a piora da crise pandêmica também destrua a econômica chapecoense.

“Agradeço ao esforço da classe empresarial que tem se dedicado a cumprir as medidas preventivas e que está sentindo na carne a dor da crise. O momento exige responsabilidade individual e consciência coletiva. Precisamos do apoio da comunidade em geral. Não é um período de férias, é uma crise que precisa de união de todos para ser superada. A saúde e a economia dependem de um cuidar do outro, porque se não tivermos colaboração em massa, teremos mais pessoas doentes e mais mortes no município”, ressaltou o presidente da ACIC, Nelson Akimoto.

O presidente da CDL Clóvis Spohr mencionou a importância da manutenção do comércio em funcionamento, dentro das regras estabelecidas pelas autoridades sanitárias. O setor foi o mais impactado pela pandemia e teme mais prejuízos, caso o fechamento seja reestabelecido. “Desde o primeiro instante da reabertura do comércio, os lojistas estão cumprindo o decreto estadual porque entendem que, no momento, mais importante que vender é transmitir segurança. Eles são agentes de conscientização no município. Não podemos responsabilizar o setor pelo comportamento individual irresponsável”, afirmou Spohr ao destacar que a CDL criou um canal de denúncias para receber informações de descumprimento das medidas preventivas. “Obedecer às regras de higiene e isolamento não é meramente um apelo, mas obrigatoriamente uma necessidade de todos. Fechar novamente o comércio e os setores produtivos seria catastrófico”, alertou.

O Sicom também lançou um canal para denúncias com objetivo de reforçar a responsabilidade de todos no processo de retomada da saúde e da economia. Segundo o presidente, Ricardo Urbancic, os setores precisam de sustentabilidade para sobreviver à crise e o eventual fechamento das atividades pode provocar perdas irreparáveis. “Todas as entidades empresarias participam do comitê de gestão de crise no município e em nenhum momento houve pressão acima do normal para a abertura dos estabelecimentos em detrimento da saúde da população. Nos prontificamos desde o início a colaborarmos no processo de enfrentamento e estamos aqui pedindo o esforço e o comprometimento de todos para mantermos em pé a saúde e a economia de Chapecó”, frisou Urbancic.

O vice-presidente da CEC, Adilson Campos, reforçou a preocupação do setor com a manutenção das micro e pequenas empresas que estão com dificuldades para pagar as despesas diante da queda abrupta da receita e não sobreviveriam a um novo período sem atendimento. “Precisamos que toda a população tome mais cuidado, que evite aglomerações, siga as recomendações de higiene e uso de máscaras. A saúde e a economia do município dependem disso. Nós já sentimos na pele o caos do fechamento das atividades econômicas e não queremos sentir novamente”.

Os canais para denúncias de descumprimento das regras de isolamento no município são (49) 9 9118-6675 (WhatsApp do Sicom), (49) 3319-4300 (WhatsApp comercial da CDL) ou contato@cdlchapeco.com.br e (49) 3321-2818 (WhatsApp da ACIC). A população também pode ligar para a Polícia Militar no telefone 190.