Por: Jornal Sul Brasil | 02/10/2020

A Administração Municipal, por meio das Secretaria de Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente e Secretaria de Infraestrutura Urbana, alerta os produtores rurais sobre a baixa precipitação em Chapecó, o que pode comprometer a rotina no campo e a qualidade de vida no interior nos próximos dias. Além de pouca chuva, a precipitação tem sido esparsa e mal distribuída, o que dificulta ainda mais as atividades produtivas, lavouras, produção animal, oferta de água nas fontes, açudes, e até mesmo, poços profundos.

Desde o início de setembro, o volume de chuva tem sido baixo no Município. Durante todo o mês, choveram apenas 42 milímetros. De acordo com o Secretário de Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente, Valdir Crestani, dados da Efapri/Ciram mostram que esta é a menor precipitação do mês de setembro dos últimos 51 anos. A análise foi feita com base nos dados de 1969 a 2020. Em 1987 foram registrados 41,9 mm, em 2017 foram 41,2 mm, em 2019 foram 42,2 mm e em 2020 com 40,2 mm de chuva em Chapecó.

De acordo com o Secretario de Infraestrutura Urbana, Max Well De Lima Ramos, algumas comunidades estão sendo atendidas com caminhão pipa semanalmente e outras a cada dois a três dias na semana. Neste mês de setembro, cresceu 60% o número de pedidos de carga de água por parte dos produtores rurais. As Linhas que estão sendo atendidas no momento são: Marcon, Serrinha, Água Amarela, Caravaggio, São Roque e Palmital dos Fundos. Hoje são dois caminhões pipa, cada um com capacidade de 9 mil litros de água, atendendo primeiro o consumo humano, e em segundo lugar, o consumo animal. Por isso, o momento pede conscientização por parte da população para o uso racional da água.