Por: Jornal Sul Brasil | 26/08/2020

No início da noite da terça-feira dia 25, na Linha Alto da Serra, a PM foi acionada para deslocar até o pronto atendimento do bairro Efapi, para averiguar a entrada de um homem ferido por disparo de arma de fogo. No local os policiais conversaram com a vítima, homem de 23 anos, o qual relatou que estava no pátio de casa e de costas para a rua quando seu vizinho de comunidade, dirigindo um veículo GM/Vectra, passou em frente a sua residência e lhe chamou pelo nome, em seguida efetuou um disparo com arma de fogo que lhe atingiu de raspão o peito e seu braço direito, fugindo logo após.

A vítima afirmou ainda que dois dias atrás havia chamado a atenção desse vizinho por ele realizar manobras perigosas em frente à residência da vítima e colocar em risco a segurança das crianças da comunidade. Nesse dia o autor já teria ficado magoado, saído patinando o veículo e realizado dois disparos de arma de fogo (revólver) para o alto no final da rua. Após a vítima ser atendida no Pronto Atendimento da Efapi, foi encaminhada para o Hospital Regional do Oeste por meios particulares para realizar exames de imagens. A vítima possuía passagens policiais como autor de receptação e posse de drogas. O suposto autor tem 22 anos, passagens por lesão corporal, violência doméstica e ameaça.

A PM levantou informações que o autor da tentativa de homicídio ocorrido  estaria na residência do seu pai com uma de fogo tipo espingarda. Rapidamente guarnições foram ao local, lá flagraram um homem de 60 anos portando uma espingarda, calibre 32 carregada com uma munição, sem marca ou numeração aparente em razão do desgaste do tempo. Ao ver as guarnições ele se desfez da arma, próximo a um monte de lenha, o filho não estava no local. Diante dos fatos, o pai foi encaminhado à CPP com a arma de fogo apreendida. Ela não tinha passagens pela Polícia, alegou que só estava com a arma porque havia recebido informações que a vítima da tentativa de homicídio iria até o local atentar contra a vida dele. A investigação irá apurar se a arma usada no crime anterior foi ou não a espingarda apreendia e, entender melhor as motivações.