Por: Jornal Sul Brasil | 20/04/2020

Com 1.156 inscritos, a XXI Jornada Jurídica do curso de Direito, da Unoesc Joaçaba, arrecadará diante ao número de inscritos aproximadamente 5.780 quilos de alimentos que serão doados a famílias locais como auxílio durante a pandemia. Além disso, o evento incentivou acadêmicos na busca pelo conhecimento, mesmo neste período sem aulas. O tema central foi “Direito e Inovação em momentos de crise”.

A Jornada Jurídica aconteceu nessa quinta e sexta-feira dia 16 e 17 e contou com 37 palestrantes que compartilharam conhecimento de forma voluntária para ajudar a causa, dentre os quais o juiz do 1º Juizado Especial Cível da comarca de Chapecó, André Alexandre Happke. O magistrado abordou o assunto “Resolução Adequada de Disputas frente ao século XXI e o Serviço Judiciário”. A participação aconteceu da casa do juiz, pela internet, na manhã dessa sexta-feira dia 17.

“Entendo que é uma oportunidade interessante de conhecimento para os acadêmicos de Direito e profissionais que estavam acompanhando a Jornada Jurídica que, neste momento, assumiu esse formato de transmissão ao vivo por videoconferência. Além da experiência desse modelo de aula que utilizando também no campo profissional. Mas o melhor de tudo foi a arrecadação de alimentos possibilitada pelo evento”, considerou o magistrado.

De acordo com o professor da Graduação, Mestrado e Doutorado em Direito da Unoesc, Paulo Junior Trindade dos Santos, – que organizou o evento juntamente com a coordenadora do curso de Direito, Magda Detsch, e os professores do mestrado Cristhian de Marco e Robson Tramontina – o evento estava proposto no calendário acadêmico, no modo presencial, mas foi cancelado devido à pandemia. No entanto, surgiu a ideia de fazer online para contemplar alunos e comunidade local.

“Nosso objetivo central foi motivar os acadêmicos neste momento social delicado e, com isso, voltamos os olhos ao estímulo do estudo pelas plataformas digitais fomentando e desenvolvendo um evento com temas emergentes, contemporâneos e urgentes, somando a interação da instituição, acadêmicos e sociedade”, destacou Dos Santos.

O professor ressaltou que houve inscritos de diversas localidades do Brasil. Sendo assim, a doação dos alimentos poderá ocorrer na universidade à qual o participante integra. Como o valor da inscrição era de R$15, ao invés de dinheiro, o inscrito deve doar alimentos não perecíveis, na universidade, no montante aproximado ao custo da inscrição. A entrega deve ser feita assim que as atividades educacionais forem retomadas.​