Por: Jornal Sul Brasil | 04/09/2020

Diante de inúmeras dificuldades durante a temporada do Verdão, o que se torna cada vez mais notável na equipe é de que a união está presente e um modelo de jogo – chamado pelo torcedor de “espírito da Chape” – está em construção com resultados já positivos. Na tarde da última terça-feira dia 3, no CT da Água Amarela, o lateral-direito Matheus Ribeiro participou da entrevista do dia. O atleta é peça importante no sistema tático da Chapecoense e se destaca pela versatilidade.

Lateral-direito de origem, o atleta durante o ano também possui atuações na lateral-esquerda e no ataque, onde obteve destaque. “Pra minha carreira é muito importante, acho que jogando na frente você tem mais opções durante o jogo, pra ser mais ofensivo, mais incisivo na última linha, com infiltrações e chutes a gol. Quando joguei ali consegui me adaptar bem, foi bem observado pela comissão porque não imaginava que podia exercer essa função e eles observando no dia a dia, perceberam isso em mim. Fiquei muito feliz em jogar ali na frente, feliz em ajudar e com certeza ajuda também para a minha carreira”.

Após boas conquistas até o momento em uma competição difícil, Matheus analisa o padrão de jogo da equipe e destaca evolução conjunta. “É um contexto geral, a gente trabalha todo mundo, todos marcam e sempre que possível atacam. Já fizemos gols de bola parada, os defensores já fizeram gols, então a Série B é um campeonato muito competitivo e sempre precisa estar atento. A gente vem cumprindo bem, é um sistema muito sólido, tomamos poucos gols e creio que se manter com essa atenção e essa competitividade a gente vai conseguir alcançar coisas boas no campeonato”.

Com experiência positiva de um acesso para a Série A na bagagem, o lateral destaca a união do grupo para representar a Chape nesta temporada. “O sentimento é o melhor possível. A gente não sabe o que vai acontecer, se vai conseguir ganhar todos os jogos, continuar vencendo, mas o que se tem certeza dentro do grupo é que vamos continuar dando nosso melhor e como falamos isso é inegociável. Trabalhar todos os dias fortes para quando entrar em campo dar o nosso melhor. Se vai jogar bem ou mal a gente não sabe, o futebol é imprevisível, mas independente disso o melhor sempre vamos dar”.

Por fim, Matheus vê o classico estadual como mais um confronto decisivo na competição nacional. “Um jogo muito complicado, difícil, as duas equipes se conhecem, já nos enfrentamos duas vezes nas quartas de final do Catarinense. O que torna o jogo ainda mais difícil, tem que manter a concentração e o nível de intensidade, para conseguir conquistar um bom resultado”.

No próximo domingo dia 6, às 11h, na Arena Condá, a Chapecoense receberá o Avaí. A partida é válida pela 8ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B.