Por: Jornal Sul Brasil | 28/07/2020

Ao longo de sua história, a Editora Argos da Unochapecó já obteve reconhecimento em várias de suas obras e conquistou seu espaço no cenário editorial e acadêmico nacional, pela qualidade de suas publicações. Neste ano, mais dois livros da editora foram indicados a importantes premiações. O primeiro, ‘Formação humana na sociedade do espetáculo’ teve indicação, na categoria Ciências Humanas, ao prêmio Jabuti, o mais tradicional prêmio literário do país. Já a obra ‘Migración, interculturalidad y educación: impactos y desafíos’, que foi organizada em parceria com a Editora da Universidade de Salamanca, na Espanha, foi indicado ao prêmio da Associação Brasileira das Editoras Universitárias (ABEU), na categoria ‘Humanidades’.

A Argos já possui uma estatueta do Jabuti com o livro ‘Do mito das Musas à razão das letras’, em 2015, entre outros prêmios, indicações e homenagens, como o prêmio da Academia Brasileira de Letras com a obra, ‘E a literatura, hoje?’ em 2019.  Atualmente, é uma editora universitária que se destaca também como uma das que mais possui publicações sobre a história da sua região.”Considerando toda a trajetória da Editora nesses quase 30 anos de criação, esse é um espaço de reconhecimento do trabalho. Participar dessas premiações é levar para outras pessoas e lugares o trabalho da Argos. É uma oportunidade de disseminar o conhecimento por meio dessas publicações da Unochapecó”, comenta a assessora da Argos, professora Rosane Meneghetti Silveira.

O acervo da Argos conta com mais de 400 títulos, os quais podem ser adquiridos pela loja virtual da editora. Conheça um pouco mais sobre cada uma das obras indicadas:

Formação humana na sociedade do espetáculo

Esta obra faz uma releitura dos textos de Guy Debord. Os organizadores deste livro reuniram um conjunto de textos para questionar aspectos fundamentais do funcionamento do mundo educacional, e arrancar cada leitor da sua zona de conforto. Segundo os autores, contestar a lógica do espetáculo hoje não significa necessariamente negar o prazer da cultura de massa. Implica, porém, uma visão de mundo que não se conforma com a falsa unificação das consciências. Este livro ajuda a compreender os desdobramentos do espetacular no último meio século.

Migración, interculturalidad y educación: impactos y desafíos

Este livro pauta os fluxos migratórios da humanidade. Segundo o Departamento de Assuntos Econômicos e Sociais das Nações Unidas (Undesa), a mobilidade humana cresce no século XXI sem precedentes. A situação atual é que, no final do século XIX e início do século XX, o continente europeu assistiu a um êxodo de seus habitantes para diferentes regiões do mundo, especialmente as Américas. Nas últimas décadas, a Europa está vivendo o reverso deste fenômeno, sem contar com os Estado Unidos e outros países que atraem migrantes de países subdesenvolvidos.

A complexidade do fenômeno migratório exige estudos, reflexões e vontade política para realizar articulações internacionais que atuem de forma solidária e em defesa dos direitos humanos, além de possibilitar o reconhecimento de pessoas migrantes e refugiadas. A obra adentra neste universo, e visualiza a educação enquanto direito universal de todas as crianças e jovens, na formação humana e cultural.

Texto Ícaro Colella*

Estagiário sob supervisão de Jessica De Marco