Por: Jornal Sul Brasil | 07/05/2020

Perto de 68% dos consumidores de Chapecó pretendem fazer compras para presentear no Dia das Mães, enquanto para mais de 28% dos empresários a expectativa de vendas é média e para 14% está boa. Esses são alguns dos números de levantamento realizado pela Divisão de Pesquisa e Estatística do Sindicato do Comércio da Região de Chapecó (Sicom) em relação à segunda data comemorativa de maior movimento anualmente, depois do Natal.

Conforme o presidente do Sicom, Ricardo Urbancic, a pesquisa teve como objetivo avaliar a perspectiva de compras pelo consumidor e a expectativa de vendas por parte do empresário do comércio neste momento de crise na saúde pública e na economia em função da pandemia do coronavírus. Acrescenta que em relação às empresas o levantamento mostra incertezas que afetam a confiança. Urbancic atribui essa indicação aos efeitos de restrições preventivas sofridas pelo comércio de 18 de março a 13 de abril, e mesmo agora, com abertura controlada, bem como à situação do poder de consumo das famílias.

O levantamento dos dados envolveu 311 entrevistas com consumidores e 35 com empresários associados ao Sicom, no período de 16 a 30 de abril, de forma online e por meio de ligações telefônicas. Dos consumidores ouvidos, 67,8% indicaram que pretendem presentear alguém no dia das mães, 20,3% não têm certeza e 11,9% não irão presentear. Entre os entrevistados, 48,9% não sabem o que dar de presente, enquanto os produtos mais indicados são vestuário (20,3%) e calçados (7,7%). Em média, o valor máximo que pretendem gastar é de R$ 160,99, com preferência pelas lojas do centro de Chapecó (48,2%), internet (15,4%) e lojas dos bairros (12,2%). Com relação às formas de pagamento, o cartão de crédito é a escolha mais comum, com 48,1%, seguindo-se cartão de débito, com 23,4%, e à vista, com 22%.

Expectativa dos empresários

A pesquisa indica a expectativa dos empresários do comércio chapecoense em meio à pandemia do Covid-19 com relação às vendas sazonais no Dia das Mães. A maioria deles – 28,6% – apontou expectativa média e 14,3% boa, enquanto para 17,1% é baixa e para 14,3% muito baixa. Outros 25,7% dos respondentes disseram, literalmente, “não saber o que esperar”, em vista das incertezas da crise e da possibilidade de o comércio voltar a fechar em Chapecó se não forem obedecidas as medidas de prevenção.

Quanto ao volume de vendas previsto para o Dia das Mães, 55,9% não esperam ter aumento, 17,6% estimam que aumentará e 26,5% disseram que talvez haja aumento. Em relação aos valores percentuais, considerando as respostas positivas e negativas, a amostra indica a média de expectativa de 6,63% de redução nas vendas para o Dia das Mães.

Comparativamente ao ano passado, a crise do coronavírus leva 64,7% dos empresários a esperar que as vendas deste Dia das Mães sejam piores, 32,4% acreditam que serão iguais e 2,9% acham que suas vendas serão melhores. Em média, 48% acreditam que as vendas neste ano cairão em comparação a 2019.