Por: Jornal Sul Brasil | 22/04/2020

Por volta do meio dia de quarta-feira, dia 22, em ocorrência que iniciou na região leste de Chapecó e terminou na área rural do município de Guatambu, a Polícia Militar (PM) apreendeu cinco armas de fogo e munições, também prendeu os responsáveis pelas armas, dois homens de 31 e 54 anos. Todo o material apreendido e os detidos foram entregues na Central de Plantão Policial (CPP) de Chapecó.

A ocorrência iniciou quando uma Guarnição do Pelotão de Patrulhamento Tático (PPT) do 2º Batalhão de Polícia Militar de Fronteira (2ºBPM/Fron) estava em rondas pelo bairro São Pedro, região leste de Chapecó e os policiais viram um suspeito, posteriormente identificado como um homem de 31 anos, em frente à ponto de tráfico, motivo pelo qual foi realizada a abordagem, ele não portava nada de ilícito, mas possuía fotos dele com armas no celular.

Ao ser questionado sobre as armas, ele negou e disse inclusive que a guarnição poderia ir até a casa dele, para verificar, que nada encontraria. Os policiais foram até o local para verificar, porém, a residência estava em construção, impossível de ser habitada, então ao ser novamente perguntado ele confessou estar morando com seu sogro, homem de 54 anos, na zona rural, Linha Schneider, no município de Guatambu e, que o sogro que possuía as armas.

A guarnição foi até o local indicado, os policiais conversaram com o sogro, ele confessou ter duas armas, uma com registro e uma sem, negou possuir outras armas, inclusive disse que poderiam verificar sua residência. Em uma busca no local, além das duas armas relatadas por ele, os policiais encontraram mais três, totalizando cinco armas de fogo, sendo uma espingarda calibre12, uma espingarda calibre 16, uma espingarda calibre 28, uma carabina Puma calibre 38 e um rifle calibre 22 com silenciador.

Além das armas, foram localizadas também muitas munições, como 116 de calibre 22, 78 de calibre 16, duas de calibre 20, duas de calibre 12, nove de calibre 38 e oito de calibre 28, também materiais para recarga como pólvora, espoletas e cartuchos, ainda uma luneta e mais um silenciador sobressalente.

O registro que o homem de 54 anos possuía era da espingarda calibre 28, porém, estava vencido; além dessa, ele se declarou proprietário da espingarda calibre 16. Já o homem de 31 anos assumiu a propriedade das outras armas restantes.

O sogro não tinha passagens pela Polícia, já o genro tem vários registros como autor de ameaça, também lesão corporal e dano, mas nunca chegou a cumprir pena.