Por: Jornal Sul Brasil | 11/06/2019

O projeto para realização do diagnóstico energético feito para verificar a realidade das instalações elétricas, o consumo de energia e as questões de segurança é o primeiro passo da ação que visa incorporar a iniciativa nas propriedades rurais. O plano foi apresentado, na última semana, durante reunião, com a governança do projeto “Encadeamento Produtivo Aurora Alimentos – Sebrae/SC: suínos, aves e leite”, desenvolvido com a parceria de entidades e cooperativas.

O estudo, que é uma novidade no Encadeamento Produtivo, avaliará inicialmente as condições de 250 empresas rurais fornecedoras das cadeias produtivas de suínos, aves e leite, associadas à Cooper A1, Cooperalfa, Auriverde, Caslo, Colacer, Coopervil, Copérdia, Itaipu e Coopercampos. As propostas e serviços incluem ações individuais de fornecimentos de energia para empresas rurais como, por exemplo, visita técnica de levantamento, análise técnica dos dados, visita de retorno e análise das faturas de energia.

Parceria com o Sebrae

O gerente regional Oeste do Sebrae/SC, Enio Albérto Parmeggiani, e a gestora local do projeto, Joselita Tedesco, afirmaram que esta é mais uma inovação do Encadeamento Produtivo que iniciou há duas décadas, na época denominado Programa de Desenvolvimento de Empreendedores Rurais.  O diretor de agropecuária da Aurora Alimentos, Marcos Antonio Zordan, observou que o objetivo é fazer com que a propriedade seja sustentável. “Com nosso apoio e das cooperativas, queremos que as pessoas sejam treinadas e adotem a prevenção como rotina. Nossa intenção, além de diminuir riscos é minimizar o consumo de energia, o que é fundamental para redução de custos e para a sustentabilidade. A exigência vem aumentando cada vez mais e, além de estrutura diferenciada, o comportamento das pessoas com a energia precisa ser diferente”.

O engenheiro da Nord Eletric, Aníbal Rosa Vargas, responsável pelo diagnóstico, explicou que as ações incluem análise técnica dos dados das últimas 12 faturas de energia afim de identificar oportunidades de redução do valor como possíveis erros de faturamento, ganhos com alteração da opção tarifária, compatibilidade entre a carga elétrica instalada e o consumo de energia, excesso de consumo devido a fugas de energia, etc.

Também será realizada entrevista com o empresário rural para conhecer seu processo de produção, rotinas de trabalho, tempo de uso de cada, além do levantamento de características dos equipamentos de iluminação.

O diagnóstico inclui, ainda, avaliação do sistema de iluminação existente para verificar se é apropriado ao ambiente em que ele está instalado, para que se reduza a reposição de equipamentos por queima e manutenção. A avaliação da qualidade do fornecimento de energia, dimensionamento da viabilidade do uso de energia também estão em evidência. Por fim, será entregue um relatório às cooperativas, além de cartilha para uso eficiente e seguro da energia elétrica aos produtores rurais.

Gerente regional Oeste do Sebrae/SC, Enio Albérto Parmeggiani, destacou a importância do diagnóstico (Foto: Assessoria)