Por: Jornal Sul Brasil | 1 mês atrás

As 47 cooperativas agropecuárias registradas na Organização das Cooperativas do Estado de Santa Catarina (OCESC) e os produtores rurais cooperados poderão se beneficiar com os recursos provenientes do PAP 2020/2021 (Programa Agrícola e Pecuário). As diferentes linhas de crédito e o seguro rural disponíveis no Programa, também conhecido como Plano Safra, são importantes para as cooperativas conseguirem garantir a atividade e a produção.

O presidente da OCESC, Luiz Vicente Suzin, destaca a importância de garantir a produtividade no campo para a economia do Estado. “No momento de incerteza que estamos vivendo, o Plano Safra traz diversas opções de financiamento para as cooperativas e para a base do campo, os produtores rurais. E o campo está sempre presente na vida dos catarinenses, por isso, garantir a sustentabilidade e novas tecnologias para a produção é essencial para o desenvolvimento da economia no Estado e para garantir o alimento na mesa dos catarinenses e da população de mais de 100 países que recebem nossos produtos”, conclui Suzin.

O montante disponibilizado no PAP 2020/2021 atendeu às reivindicações do cooperativismo no Estado quando da organização do Programa. O incremento de 30% nos recursos para o seguro rural dentro do Plano Safra foi um dos benefícios deste ano, já que é uma ferramenta muito importante para cobrir possíveis danos com a produção. Ao todo, o Governo Federal disponibilizou R$ 236,3 bilhões para o agronegócio nacional, distribuídos entre linhas de crédito e seguro rural.

Dados da OCESC de 2019 mostram que o ramo agro representa 63% do movimento econômico do cooperativismo catarinense, empregando mais de 40 mil pessoas. Em 2019, o faturamento das cooperativas agropecuárias no Estado chegou a R$ 25,8 bilhões, com mais de 70 mil cooperados.

Linhas de crédito para garantir investimentos

Nas linhas de crédito rural, o Programa de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), destaca-se como o Programa mais utilizado pelos cooperados catarinenses, apresentando a menor taxa de juros do PAP, de 2,75% a 4% ao ano. Segundo levantamento da OCESC, cerca de 60% dos produtores cooperados em Santa Catarina possuem a Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP), ou seja, são pequenos produtores e estão aptos a solicitar o financiamento. Para os médios produtores rurais existe uma linha de crédito rural específica, o Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural (Pronamp).

Há ainda linhas de financiamento exclusivas para cooperativas, como o Programa de Capitalização de Cooperativas Agropecuárias (ProcapAgro) e o Programa de Desenvolvimento Cooperativo para Agregação de Valor à Produção Agropecuária (Prodecoop).  Para o ProcapAgro, que voltou a ser um Programa com recursos controlados, foi destinado cerca de R$ 1,5 bilhão com juros que podem chegar a 7% ao ano. Cada cooperativa pode pegar até R$ 65 milhões em concessão de crédito para capital de giro, uma maneira de garantir a continuidade das atividades em momentos de crise. Através do Prodecoop, as cooperativas poderão solicitar até R$ 150 milhões para financiar equipamentos de modernização da produção e do complexo agroindustrial.

Intercooperação

Além de garantir recursos para as cooperativas agropecuárias, o Plano Safra estimula a intercooperação, já que as cooperativas de crédito são instituições financeiras aptas a disponibilizar esses recursos para financiamento aos cooperados e às cooperativas.

O ramo crédito apresenta o maior número de associados no cooperativismo catarinense e é um dos ramos do cooperativismo que mais cresce no Estado. No último ano, as 61 cooperativas de crédito reuniram mais de 1,9 milhão de cooperados, movimentando cerca de R$ 6,1 bilhões na economia.

 

Fonte: Assessoria de Comunicação Interna Sistema OCESC