Por: Jornal Sul Brasil | 05/11/2020

A Câmara Regional Oeste do Movimento Santa Catarina pela Educação promoveu reunião on-line nesta quarta-feira (04), momento em que foi apresentado o reposicionamento do Movimento para 2020 e 2021. Nestes dois anos será trabalhado o tema Empresas e o Futuro do Trabalhador, contribuindo para dar uma resposta aos profissionais e empresas afetados pela pandemia.

De acordo com o assessor de Responsabilidade Social da FIESC, Sandro Volpato Faria, diante do contexto da Covid-19, pessoas e empresas necessitam de apoio no processo irreversível de demissões, especialmente no que diz respeito aos aspectos sociais, comportamentais, econômicos e tecnológicos. O objetivo do reposicionamento do Movimento SC pela Educação é capacitar trabalhadores desligados para a inclusão no mercado de trabalho e, consequentemente, as empresas terem a disponibilidade de profissionais mais qualificados para a contratação.

O novo modelo visa atender todos os segmentos empresariais do Estado. “Focalizamos em pessoas que perderam o emprego ou que querem se reposicionar no mercado de trabalho. Para isso, teremos uma plataforma que fará a conexão entre as partes envolvidas, ou seja, terá um canal de comunicação entre desempregados e empresas, com links para cadastrar currículos e vagas de emprego, além de trilhas de aprendizagem gratuitas”, explica Faria.

Entre os temas que serão abordados nas trilhas de aprendizagem estão mundo digital, matemática, português, inglês, competências socioemocionais e lógica de programação. “A intenção é proporcionar qualificações transversais, em nível básico, e numa segunda etapa oferecer capacitações com temas específicos”, relata Faria, ao acrescentar que estão sendo feitas parcerias com diversas instituições para a promoção dos cursos.

Uma parceria será com a Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABHR/SC), para a formulação das bases para a elaboração do Plano de Desenvolvimento de Pessoas. A líder do Programa Movimento SC pela Educação, Osnilda Leite, lembra que em 2016 foi firmada uma parceria com a ABRH e construído um plano de maneira colaborativa. “Precisamos atualizá-lo para que seja uma orientação às empresas desenvolverem os seus planos de RH”. As ações serão desenvolvidas para identificar novas funções requeridas pelo novo cenário econômico; modernização, de forma colaborativa, das bases do Plano que atenda as demandas atuais e futuras das empresas e para atuação mais estratégica dos setores de recursos humanos.

A FIESC já disponibiliza um canal com dicas em diversos assuntos. É o https://fiesc.com.br/ligapelotrabalho, onde pode-se encontrar orientações de finanças pessoais, como se preparar para um novo emprego e equilíbrio emocional em tempos de incertezas.

Mobilização Regional

Osnilda destaca a atuação das Câmaras Regionais para a mobilização das pessoas e alcance dos resultados, análise e priorização das ações e demandas face às especificidades de cada regional, desdobramento das demandas para a execução e acompanhamento dos indicadores.

O vice-presidente regional Oeste da FIESC, Waldemar Schmitz, assinala que o reposicionamento do Movimento vem ao encontro dos anseios da sociedade com as mudanças provocadas pelo novo coronavírus. “Todos precisamos repensar nosso dia a dia pessoal e profissional. O Movimento SC pela Educação está atento e acompanhando as tendências que, com a pandemia, estão aceleradas”.

O gerente executivo do Sesi, do Senai e do IEL nas regionais Oeste e Extremo Oeste, Geferson Luiz dos Santos, reforça a necessidade de constante qualificação das pessoas para manter a competitividade tanto dos profissionais quanto das empresas. “Nossa região é diferenciada, pois não foi tão afetada pela pandemia. Temos vagas de trabalho disponíveis na indústria, porém nem sempre há profissionais qualificados para essas vagas”.

O gerente regional do Sebrae/SC no oeste e extremo oeste, Udo Martin Trennepohl, destaca a importância de qualificar os profissionais e empreendedores também no segmento de micro e pequenas empresas. “Temos muitos desafios, principalmente no desenvolvimento tecnológico dos micro e pequenos negócios. Precisamos fortalecê-los porque são uma base importante da economia, que gera muitos empregos e geralmente não consegue acompanhar as tendências sem auxílio. O Sebrae tem diversos programas que podem contribuir com o Movimento SC pela Educação”.

A necessidade de expansão tecnológica nas áreas rurais do Estado foi ressaltada pelo supervisor regional do Senar no Oeste, Helder Jorge Barbosa. Segundo ele, a inovação e tecnologia estão cada vez mais presentes no campo. “Temos uma grande preocupação quanto ao acesso à internet nas propriedades. É uma questão que precisamos trabalhar e aprimorar para levar cada vez mais competitividade também às áreas rurais”.

O diretor acadêmico da Unoesc Chapecó, professor Celso Paulo Costa, elogiou o trabalho da Câmara Regional do Movimento SC pela Educação na proposição de um programa de formação aos desempregados do Estado, ao mesmo tempo em que informou que a universidade dispõe de capacitações on-line gratuitas em diferentes temas e possui profissionais que podem contribuir com as trilhas de aprendizagem do Movimento. “A instituição é parceira e está à disposição para colaborar em todo o processo”.

Movimento SC pela educação 

O Movimento Santa Catarina pela Educação é uma iniciativa desenvolvida pela Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (FIESC) desde 2012, com participação do Sesi e do Senai. Obteve a adesão dos serviços de aprendizagem e social do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (Fecomércio, Senac e Sesc), Agricultura (Faesc e Senar), Transportes e Logística (Fetrancesc, Sest e Senat), além das entidades representativas dos trabalhadores das indústrias e de instituições públicas, como a Secretaria de Estado da Educação e a União dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime-SC).