Por: Jornal Sul Brasil | 1 mês atrás

Em transmissão ao vivo na manhã desta quarta-feira dia 12, o Prefeito Luciano Buligon acompanhado da diretora técnica da secretaria de saúde Aldarice Pereira da Fonseca e da secretária de saúde Maristela Rocha, fez as atualizações do cenário do Coronavírus em Chapecó. Em sua fala ele enalteceu que o maior objetivo é salvar vidas e disse lamentar todos os óbitos que Chapecó já registrou e enviou a sua solidariedade ás famílias.

“Salvar vidas através da melhor técnica e da melhor ciência é o nosso objetivo, por isso lamentamos por cada vida perdida e pedimos a ajuda de todos para vencermos essa guerra” pontuou.

Em sua fala Luciano ainda comentou a cerca de um encontro da administração municipal com a associação dos mercados para debater algumas questões e enalteceu que já foi enviado à Câmara de Vereadores o projeto que aumenta o valor da multa para àqueles que descumprem as determinações sanitárias em Chapecó. O prefeito também pontuou que no sábado, dia 15, os bares podem voltar a atender o público até ás 22 horas, e pediu colaboração. “Precisamos da ajuda de vocês, é preciso obedecer às regras de distanciamento de não aglomeração e apenas dessa forma poderemos manter essa atividade funcionando” enalteceu.

Aldarice participou da coletiva e atualizou que foram confirmados 5.373 casos de Coronavírus, com 12 pacientes internados em enfermaria, 18 em UTI, 27 óbitos, 399 em isolamento domiciliar e 4.917 recuperados. A 27ª morte foi registrada na madrugada da quarta-feira, a vítima, um homem de 73 anos que apresentava outras comorbidades faleceu no Hospital Regional do Oeste.

Os casos suspeitos são 1.013 com 5 pacientes internados em enfermaria, dois em UTI e 1.006 em isolamento domiciliar. Foram monitorados 14.114 pessoas que apresentaram algum sintoma respiratório, dos quais 13.994 foram testados com 7.608 casos descartados.

Dos residentes de outros municípios internados em Chapecó são 25 casos confirmados com 15 óbitos, 7 pacientes internados em enfermaria e três em UTI. Os casos suspeitos são 4 com três pacientes internados em enfermaria e um em UTI.

O serviço do Ambulatório de Campanha do Centro efetuou 6.280 atendimentos e o da Efapi 7.132. O Serviço de triagem médica atendeu 13.066 ligações e o Serviço de escuta e acolhimento 1.706.

O Disque denúncia recebeu 1.142 ligações, e efetuou 402 verificações acompanhadas da Guarda Municipal ou Polícia Militar e 740 vigilância efetuadas por agentes da Vigilância Sanitária. Foram aplicadas 84 multas, sendo 14 por não uso de máscara, 36 por aglomerações, 34 não isolamento social, e 18 estabelecimentos interditados por não atenderam as normas de isolamento.

Questionado sobre os leitos, Buligon disse que Chapecó tem disponível cerca de 60 leitos de UTI, mas que esse número pode ser baixo se não houver consciência e cuidado. “Estamos vivendo um momento anormal na nossa vida, e precisamos lutar e encarrar isso dentro do que manda a técnica, pedimos a todos que nos ajude não se infectando, respeitando as normas de isolamento, não podemos baixar a guarda, se baixarmos o inimigo nos vence. Eu não sei quanto tempo isso vai durar, alguns especialistas dizem que até final de setembro, outros que apenas quando inventarem a vacina, então precisamos seguir lutando,” finalizou.