Por: Jornal Sul Brasil | 15/07/2020

Santa Catarina tem 2.916 vagas de emprego abertas nas agências do Sistema Nacional de Emprego (Sine), nesta terça-feira, 14, segundo um levantamento da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE). As oportunidades estão em 57 municípios catarinenses, e são para diferentes funções e níveis, exigindo desde o fundamental até o superior.

A cidade de São Miguel do Oeste conta com o maior número de ofertas, sendo 722 vagas em aberto. Em segundo lugar está Chapecó, com 597; e seguida de Tubarão, com 335.

O secretário da SDE, Rogério Siqueira, destaca que o Estado vem buscando cada vez mais aproximação e diálogo com o setor produtivo, para que com base números seja possível fomentar soluções para este momento desafiador.

“Vivemos uma época atípica e queremos contribuir para que mais e mais oportunidades de trabalho surjam em Santa Catarina. Com perseverança e comprometimento, a SDE está confiante e focada em criar um verdadeiro movimento de retomada econômica, levando para todos o sentimento de esperança em um amanhã cada vez melhor”, pontua Siqueira.

 

Para se candidatar

Para acessar a relação completa das vagas abertas, de qualquer local, em qualquer horário, sem a necessidade de se deslocar até um posto de atendimento, os trabalhadores devem fazer o download do aplicativo para celular Sine Fácil, disponível nas plataformas IOS e Android.

Já para se candidatar à vaga, o trabalhador deve agendar por telefone o atendimento na unidade do Sine mais próxima e, nada marcada, se dirigir até agência com RG, CPF e a carteira de trabalho, para a realização da inscrição.

Todos os serviços oferecidos pelo órgão podem ser acionados também pelo e-mail seguro@sine.sc.gov.br ou pelos e-mails dos Sines nos municípios.

Para aumentar as chances de ser contratado, é fundamental que o cidadão mantenha seus dados profissionais e pessoais sempre atualizados no Sine. “A orientação é para que, sempre que tenha alterações, os trabalhadores mantenham o cadastro atualizado, tanto no meio online quanto no físico, para que os perfis do trabalhador e da vaga sejam compatíveis”, aconselha o coordenador estadual do Sine, Ramon Fernandes.