Por: Jornal Sul Brasil | 27/11/2020

A situação de risco gravíssimo de disseminação e contaminação pelo coronavírus levou o Sindicato do Comércio da Região de Chapecó a apelar para que sejam ampliados todos os cuidados de prevenção. Para a entidade, isso é fundamental na preservação da saúde e requer a atenção das pessoas em geral e das empresas de todos os ramos, inclusive do comércio.

Um dos argumentos da entidade está no atingimento do nível máximo de ocupação que se registra nos hospitais, tanto de leitos como de UTIs, em decorrência das mais diversas doenças, não somente do Covid-19. Lembra o Sicom que na classificação de riscos nas 16 regiões de saúde no Estado, apenas três estão com o risco potencial grave, enquanto as outras 13 encontram-se com risco potencial gravíssimo, como é o caso de Chapecó.

Em função do recrudescimento da crise sanitária ocasionada pelo coronavírus em Chapecó e na região, o presidente em exercício do Sicom, Ricardo Urbancic, enfatiza a necessidade de serem redobrados os cuidados e as medidas de prevenção por parte de cada pessoa. Nesse sentido, argumenta que as autoridades da saúde recomendam, entre outras medidas, que se evite qualquer tipo de aglomeração. Também lembra que, se isso não ocorrer, há risco de restrições, inclusive à abertura normal do comércio, que além de promoções eventuais, como a Black Friday, entra no período das vendas natalinas.