Por: Jornal Sul Brasil | 15/09/2020

Desde 2009 o Hospital Unimed Chapecó tem alicerçado suas ações para segurança do paciente em metodologias de certificação que objetivam apresentar os melhores resultados clínicos com destinação mais eficiente dos recursos nos cuidados dos pacientes internados. No mês de março de 2020, o hospital conquistou a acreditação internacional Qmentum Diamond. Todos os métodos escolhidos estrategicamente para serem implantados no Hospital Unimed forçam a busca pela melhoria dos processos, principalmente naqueles de cunho assistencial, sendo a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) um deles.

Um dos requisitos exigidos no padrão de serviços intensivos do Qmentum Program é a identificação do perfil epidemiológico através da gestão de informações assistenciais que auxiliam na definição de diretrizes e práticas clínicas para a melhoria do atendimento e da segurança dos pacientes. Em 2015, a Unimed Chapecó adquiriu o Sistema Epimed Monitor e em 2019 este sistema integrou dados do Prontuário Eletrônico do Paciente, movimentos fundamentais para a geração de informações precisas para tomada de decisão, contribuindo de forma diferenciada para garantia da sustentabilidade de uma unidade de alta complexidade, além da dedicação e do esforço das equipes médicas e de enfermagem para garantir a perfeita utilização do sistema. Essas ações foram fundamentais para que o selo “Top Performer” fosse concedido pela Epimed Monitor para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) geral do Hospital Unimed Chapecó.

No Brasil, foram avaliadas pela Epimed Monitor mais de mil UTIs e um seleto grupo de 106 unidades receberam a premiação. Entre os critérios avaliados para concessão do selo estão: taxa de mortalidade, taxa de utilização de recursos, taxa de infecção, tempo de internação e ocorrências de eventos adversos. Os bons resultados destes indicadores traduzem este reconhecimento.

Segundo a médica intensivista e coordenadora da UTI do Hospital Unimed Chapecó, Dra. Silvia Fachin, a UTI é um dos setores mais dinâmicos e complexos dos hospitais, por onde passam pacientes críticos, nem sempre com chances altas de recuperação. Segundo a médica, o objetivo da internação é estabilizar o quadro clínico e encaminhar os pacientes para setores de cuidados intermediários de internação no menor tempo possível e sem ocorrência de eventos adversos.

A médica salienta que o selo é motivo de orgulho, pois reflete diretamente o trabalho e o comprometimento da equipe assistencial multiprofissional no reestabelecimento da saúde dos pacientes, além do aprimoramento constante motivado pelos processos de acreditação que orientam e monitoram padrões de alta performance em qualidade e segurança, utilizando critérios globais de avaliação e validação. “Todos estão empenhados para oferecer a melhorar assistência possível aos nossos pacientes”, ressalta Silvia.